Cristóvão Simão Ribeiro: “O PCP nunca renegou a figura de Estaline”

O líder da Juventude Social Democrata (JSD), Cristóvão Simão Ribeiro, em entrevista exclusiva ao Panorama falou do polémico cartaz tornado público pela JSD em que o líder da Federação Nacional de Professores (FENPROF), Mário Nogueira, é comparado a Estaline.

cristovaoQual foi o motivo que levou a JSD a exibir um cartaz onde Mário Nogueira é igualado a Estaline?

O cartaz tem um fundamento muito simples: quisemos demonstrar que as políticas do atual governo em matéria de educação não são racionais mas sim políticas com carácter puramente ideológico. Quisemos ainda demonstrar que quem mais condiciona a política educativa é Mário Nogueira e a FENPROF. E decidimos compará-lo a Estaline porque, à semelhança do ex-líder da antiga União Soviética, Mário Nogueira se auto-intitula o único interpretador correto das boas condutas públicas daquilo que devem ser as políticas da educação. E a nosso ver isto está errado.

A JSD não considerou a comparação arriscada?

Como dizia Francisco Sá Carneiro, a política sem risco é uma chatice. E não consideramos arriscado. A JSD comparou um comunista a outro comunista. Mário Nogueira é comunista assumido e já pertenceu às listas do Partido Comunista. Não vejo nenhum drama na comparação até porque o PCP nunca renegou a figura de Estaline. Por isso, não retiro uma única vírgula ao cartaz.

Mário Nogueira disse que o cartaz era um “insulto pessoal vindo dos garotos da JSD”. Como reage a estas acusações?

Era o que mais faltava alguém vir condicionar a JSD com ameaças de processo ou com processos de ameaça. Com as reações que teve [Mário Nogueira] nos últimos dias, nota-se que lida muito mal com a crítica. O sindicalista Mário Nogueira não tem moral nenhuma para falar porque o próprio usa e abusa deste tipo de comunicação [cartazes] e ainda por cima utiliza palavras como ladrões e roubo. Quando são eles [FENPROF] a dizer e a fazer não há problema nenhum. Mas quando são os outros a dizer é um escândalo.

Afirmou que todos os que leram o cartaz perceberam e compreenderam a mensagem, mas os comentários feitos por muitos internautas na página de Facebook da JSD, referia-se à juventude como “analfabeta” e “preconceituosa”.

Sinceramente eu não me preocupo muito com isso porque o perfil dos autores dos comentários eram marcadamente de esquerda a quem lhes doeu a verdade. E como são um grupo muito bem organizado, e isso eu reconheço-lhes, prestaram esse papel porque têm tempo para o fazer.

Alguém do partido ou o líder, Pedro Passos Coelho, falou com a direção da JSD depois da publicação do cartaz? Apesar da JSD ter uma estrutura autónoma à do partido [PSD], até que ponto houve uma aprovação a estrutura nacional?

Não e não estava à espera que o fizesse. Com todo o respeito que tenho PSD, a JSD é e vai continuar a ser uma estrutura autónoma. Era o que mais faltava pedir a autorização seja a quem for para tornamos a nossa posição política. A publicação deste cartaz foi deliberada em Comissão Nacional por considerarmos que era a altura devida face à vergonha que se está a passar na educação em Portugal.

Descomplicador:

A Juventude Social Democrata publicou no Facebook um cartaz onde Mário Nogueira, líder da FENPROF, é comparado a Estaline e onde o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, aparece em segundo plano retratado como uma marioneta.

zmjgloth@clrmail.com'
Publicado por: Gonçalo Nuno Cabral

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *