Demissões nas CCDRs. Autarcas do PSD criticam “saneamento politico”

O presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Norte foi demitidos pelo Ministro do Planeamento, Pedro Marques. Alguns autarcas da região Norte criticam o “saneamento politico”, pedindo esclarecimentos a Pedro Marques na Assembleia da República.

Pedro Marques Planeamento PSA polémica teve o seu auge quando Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto, criticou a actuação do presidente da CCDR na atribuição de verbas, que teriam sido atribuídas pelo governo mas que aguardam ainda a aprovação e publicação por parte da CCDR. Esta demora, levou a que Rui Moreira e outros autarcas do norte faltassem à assinatura dos Programas Estratégicos de Desenvolvimento Urbano.

Agora, poucos dias depois desse “mal-entendido” entre governo, CCDRs e autarquia, Emídio Gomes foi exonerado do cargo, com o governo a apresentar como justificação: “incumprimento reiterado das orientações da tutela”.

Apesar da reclamação de Rui Moreira e outros autarcas, Hermínio Loureiro, presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis e responsável pela Área Metropolitana do Porto, publicou no seu Facebook uma crítica à actuação do governo que acusou de “saneamento politico”, acrescentando que “o mundo está a ficar perigoso”.

A única critica não surgiu por parte de Hermínio Loureiro, mas também dos presidentes das autarquias de Espinho (PSD) e de Vila Real (PS). Para o autarca de Espinho esta exoneração é um “linchamento político”, enquanto o autarca de Vila Real disse que “a sua verticalidade, transparência, equidade e dedicação ao Norte e a cada uma das suas sub-regiões será um exemplo para o futuro”, referindo-se a Emídio Gomes.

Emídio Gomes não terá gostado que o Ministério do Planeamento tenha negociado os planos estratégicos para as cidades do Norte sem ter tido em conta o papel da CCDR que passou à margem de todas as negociações com as autarquias.

Descomplicador:

O presidente da CCDR do Norte foi demitido por Pedro Marques, Ministro do Planeamento, devido a “incumprimento reiterado das orientações da tutela”. Hermínio Loureiro, da Área Metropolitana do Porto acusou o governo de “saneamento politico”.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *