Donald Trump demite diretor de campanha

A convenção do partido republicano está a aproximar-se e as pressões ao mais provável candidato estão a aumentar. Em resposta às mudanças que lhe estão a ser pedidas, Donald Trump demitiu o seu diretor de campanha, Corey Lewandoski, responsável por um recorde histórico nas primárias republicanas: com ele, a campanha de Trump recebeu 14 milhões de votos.

Corey LewandoskiAlgumas fontes dizem que este afastamento já estava a ser pensado há algum tempo e que Lewandoski foi forçado a abandonar o projeto da corrida por ter uma má relação com o comité nacional republicano e também com inúmeros jornalistas. Foi também apontada uma falta de sintonia para com os assessores de Trump e com o outro diretor de campanha, Paul Manafort, contratado para melhorar as relações entre a campanha e a cúpula de um partido dividido.

Numa entrevista que concedeu à televisão norte-americana NBC, Lewandoski disse que não se arrepende do trabalho que fez e garantiu que vai continuar a estar do lado de Trump. Aliás, o ex-diretor vai estar à frente da delegação que o estado do New Hampshire vai levar à convenção do partido, para apoiar a nomeação de Donald Trump.

Um partido dividido

Donald TrumpAo controverso candidato a nomeado, têm sido exigidas mudanças na retórica, em que se destacam acontecimentos recentes e que demonstram que Donald Trump está cada vez mais isolado dentro do próprio partido. Depois do ataque terrorista em Orlando, o candidato voltou com uma retórica anti-imigração e anti-muçulmana, levando a que alguns membros republicanos o tivessem deixado a falar sozinho.

Perante a possibilidade de perder o apoio fundamental do núcleo do partido disse: «Acredito que posso ganhar de qualquer forma. Posso ganhar de uma forma ou de outra. Ganhei as primárias sem eles». Ainda assim, numa entrevista à NBC disse que «seria muito bom se os republicanos se mantivessem unidos».

A divisão dos republicanos foi confirmada pelo líder político do partido, Paul Ryan, que deixou claro que não irá obstruir qualquer opção contrária a Trump. Referia-se à possibilidade de uma rebelião dos delegados na convenção e ao surgimento de uma nomeação alternativa a ser escolhida no próximo mês de julho: «Está dividido e não vou dizer a ninguém para ir contra a própria consciência», disse.

Descomplicador:

O diretor de campanha de Donald Trump foi demitido pouco tempo antes da convenção republicana. A demissão é vista como uma forma de alterar a relação do candidato com a cúpula do partido, devido à má relação de Corey Lewandoski com o partido e com a imprensa.

zdkoexdm@anappthat.com'
Publicado por: Luís Fernandes

19 anos. Estudante de jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social em Lisboa. Desde cedo que soube o caminho que queria trilhar e que passava, sem qualquer dúvida, pela comunicação: o jornalismo - a vontade de informar, a forma de oferecer a quem lê, ouve ou vê, uma oportunidade para mudar e fazer mudar. Atualmente é coordenador dos Noticiários da ESCS FM e colabora com a ESCS Magazine.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *