Premiar o mérito no desporto

Na UTAD temos, desde há dois anos para cá, reunido esforços e consensos no incentivo à prática desportiva. Desde o investimento em infraestruturas, até à assinatura de um contrato programa entre a Associação Académica e os Serviços de Ação Social, muitas têm sido as sinergias conquistadas, e os primeiros resultados começam a surgir, quer pelo número crescente de estudantes a praticar atividade física quer pelas mais recentes conquistas a nível competitivo.

Desta forma a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e a Associação Académica da UTAD têm feito um percurso exemplar e hoje a academia transmontana posiciona-se como um dos principais agentes no fomento à vida ativa e ao desporto universitário no distrito de Vila Real e na região de Trás-os-Montes.

Contudo, ainda não damos a missão por concluída. E não o fazemos por duas razões: a primeira é pela atenção permanente que esta área de atuação requer, e a segunda é porque não é possível continuar a fazer do desporto uma bandeira e continuar a investir na formação de atletas, se não lhes reconhecermos o devido mérito pelas suas prestações a nível nacional e internacional.

Foi nesse sentido que apresentei no último Conselho Académico da UTAD uma proposta de regulamento de atribuição de prémios de mérito desportivo aos estudantes-atletas da Universidade Trás-os-Montes e Alto Douro. O documento, pensado e construído pela Associação Académica da UTAD, pretende regulamentar o mérito desportivo na academia, fixando prémios pelas prestações dos nossos atletas, tendo em conta o elevado interesse que a AAUTAD e a UTAD atribuem à participação dos estudantes em competições desportivas universitárias.

O objetivo passa por incentivar a conquista de títulos, através de um apoio financeiro aos estudantes da UTAD que obtenham resultados desportivos de excelência, nas competições internacionais universitárias e campeonatos nacionais universitários.

Estádio UniversitárioA medida pressupõe quatro categorias de recompensa: atribuição do valor integral da propina, atribuição de 75% do valor da propina, atribuição de 50% do valor da propina e atribuição de 25% do valor da propina, que variam de acordo com o título conquistado: medalha de ouro nas Universíadas, Campeonatos Mundiais Universitários ou Campeonatos Europeus Universitários para a primeira categoria, medalha de prata nas Universíadas, Campeonatos Mundiais Universitários ou Campeonatos Europeus Universitários para a segunda categoria, medalha de bronze nas Universíadas, Campeonatos Mundiais Universitários ou Campeonatos Europeus Universitários para a terceira categoria e medalha de ouro nos Campeonatos Nacionais Universitários para a quarta categoria.

Esta proposta representa um progresso significativo na forma como vemos e encaramos o desporto universitário no seio académico e é de facto uma mudança crucial para todos aqueles que deixam tudo em campo pelas nossas cores.

A proposta está agora dependente da aprovação do Conselho de Gestão e voltará a sede de Conselho Académico para apreciação final, com a certeza de que tudo faremos para que a mesma seja aprovada e implementada no mais curto espaço de tempo.

A Associação Académica da UTAD dá assim o seu contributo para que o mérito desportivo possa fazer parte da realidade do Desporto Universitário em Portugal, juntando-se ao apelo para que outras Instituições de Ensino Superior adotem a medida e garantam a universalidade da mesma de norte a sul do país.

Publicado por: André Coelho

Presidente da Associação Académica da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (AAUTAD). Estudante de Ciências do Desporto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *