A X Convenção de um novo Bloco

O Bloco de Esquerda chega à X convenção depois de neste último ano se ter afirmado como a terceira força política do país. Sob a liderança de Catarina Martins, é hoje uma das vozes decisivas para o rumo do país, ocupando um dos papéis essenciais para a manutenção do atual governo liderado por António Costa.

DSC00002Passaram-se dois anos desde a última convenção, e o partido mudou radicalmente. Em 2014, depois do afastamento de Francisco Louçã, ao Bloco de Esquerda era apontado um futuro incerto, também baseado em resultados eleitorais amargos: nas legislativas de 2011, não conseguiu resultados superiores a 6%, a que se seguiram, em 2013, novos desastres eleitorais: primeiro nas autárquicas e depois nas europeias.

As divisões internas que se acumularam no partido foram varridas pela atual porta-voz, Catarina Martins, que chega hoje a uma convenção que se vai dedicar a olhar o percurso feito nos últimos dois anos. Um percurso em que o BE ganha protagonismo ao acumular 19 deputados no parlamento. «Camaradas, o Bloco de Esquerda teve hoje o melhor resultado de sempre», encerrava assim a noite eleitoral de 4 de outubro. Seguiu-se a surpreendente prestação de Marisa Matias, nas presidenciais que elegeram Marcelo Rebelo de Sousa, e a presença de Mariana Mortágua na Comissão Parlamentar do BES.

Os próximos meses

É a altura de olhar para o que foi feito, mas também procurar um novo caminho a seguir. Desta forma, são hoje apresentadas as três moções para a nova orientação do partido, ainda que os olhos estejam principalmente postos na Moção A – «Força da Esperança – O Bloco à conquista da maioria».

No documento a que essa proposta diz respeito, consta que o trabalho deverá ser feito com base em três eixos: o controlo do sistema financeiro, e combate à corrupção; a descarbonização da economia e coesão territorial e a reposição dos direitos laborais; e, por fim, o combate à precariedade e uma maior redistribuição da riqueza. Ainda assim, não deixam nunca de lado a ideia de uma renegociação da dívida.

Ao eleger 523 delegados, em que a primeira subscritora é a líder do partido, posiciona-se à frente das outras propostas. Todas vão ser apresentadas hoje, às 15h, incluindo a Moção R – «Crescer pela raiz – a radicalidade de reinventar a política» e a Moção B – «Mais bloco».
O Panorama está na X convenção do Bloco de Esquerda, que vai acompanhar durante o fim de semana.

Descomplicador:

O Bloco chega à X convenção com uma perspetiva diferente da última reunião nacional do partido. Hoje ocupa um papel essencial para suportar o governo, e é a terceira força política do país. É a altura de serem apresentadas as novas propostas para a orientação política futura do partido.

zdkoexdm@anappthat.com'
Publicado por: Luís Fernandes

19 anos. Estudante de jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social em Lisboa. Desde cedo que soube o caminho que queria trilhar e que passava, sem qualquer dúvida, pela comunicação: o jornalismo - a vontade de informar, a forma de oferecer a quem lê, ouve ou vê, uma oportunidade para mudar e fazer mudar. Atualmente é coordenador dos Noticiários da ESCS FM e colabora com a ESCS Magazine.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *