Catarina Martins: “Isto é só o início”

convenção“Se o caminho é duro sabemos o valor da luta”. Foi desta forma que Catarina Martins, a porta-voz do Bloco de Esquerda, abriu a X Convenção do partido reunido hoje em Lisboa.

A líder bloquista pediu “entusiasmo” aos militantes para endurecer a “luta contra a precariedade”, num discurso marcado pelo orgulho no que foi feito. A porta-voz destacou a boa prestação do partido nas últimas eleições presidenciais, quando Marisa Matias obteve um surpreendente terceiro lugar.

Depois de enaltecer o trabalho feito pelo partido no continente e nas ilhas, Catarina Martins virou-se para a Europa e recusou “ficar à espera de ventos bons de Bruxelas e de Berlim”. A líder bloquista acrescentou que “não só não é realista como é perigoso”. A recente saída do Reino Unido da União Europeia não foi esquecida: “Este não é o momento de os países saltarem com cartadas de referendos”, disse.

As farpas à direita e o acordo à esquerda não foram esquecidos. Catarina Martins recordou que com o “crescimento do Bloco foi possível tirar a direita do poder e forçar o PS a um acordo à esquerda”. A coordenadora do BE lembrou ainda as conquistas da maioria de esquerda no plano social e no plano económico. “Não nos perdemos em taticismo aritmético nem em conveniências partidárias”, concluiu.

A projetar o futuro, Catarina Martins admite que “o Bloco tem um longo caminho a percorrer e ainda não tem força para formar governo”. “Isto é só o início. Tivesse o Bloco tido mais força e o Banif não tinha sido entregue ao Santander”, garantiu.

Descomplicador

Começou hoje em Lisboa a X Convenção do Bloco de Esquerda e Catarina Martins colocou os militantes ao rubro depois de, na sua intervenção, recordar o caminho do Bloco de Esquerda que conseguiu ser a terceira força política em Portugal

zmjgloth@clrmail.com'
Publicado por: Gonçalo Nuno Cabral

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *