Chilcot Report: Jorge Sampaio é o primeiro a aceitar falar sobre o Iraque

O antigo presidente da República Jorge Sampaio confirmou ontem a sua disponibilidade para prestar declarações sobre o envolvimento português na guerra do Iraque, em 2003. Paulo Portas, Durão Barroso e Martins da Cruz ainda não responderam.

sampaioA comissão de Negócios Estrangeiros aprovou ontem um requerimento do PCP para debater a invasão portuguesa na Guerra do Iraque. Inicialmente aprovado para inquirir Durão Barroso, antigo primeiro-ministro, e Paulo Portas, ministro da Defesa na altura, com votos favoráveis de toda a esquerda parlamentar, o requerimento estendeu a lista e chamou também para depor Jorge Sampaio, a pedido do PSD, e Martins da Cruz, a pedido do PS. Até à data, apenas o ex-chefe de Estado se mostrou disponível para responder às perguntas da comissão.

O ex-Presidente, que se opôs ao apoio do governo português na Guerra do Iraque em 2003, foi o primeiro a mostrar-se disponível para ser ouvido no Parlamento. A audição só acontecerá daqui a dois meses, uma vez que os trabalhos parlamentares estão na reta final e os deputados da Assembleia concordaram na não urgência dos depoimentos.

Este pedido de audição dos deputados comunistas surge na sequência das conclusões do Relatório Chilcot – Chilcot Report em inglês – o relatório britânico que investigou o processo de envolvimento do Reino Unido na guerra do Iraque. Na altura, o Reino Unido tornou-se o principal apoio internacional dos EUA na invasão do país. O relatório concluiu que as informações que indiciavam a existência de armas de destruição maciça, supostamente na posse de Saddam Hussein, eram falsas. No verão de 2003, já com a invasão em curso, Durão Barroso garantia aos órgãos de comunicação social que essas armas de destruição eram mesmo verdadeiras.

Após todos os convocados serem ouvidos pelo Parlamento, será elaborado um relatório pelo relator de comissão, relatório esse que será depois votado em plenário.

Descomplicador:

Jorge Sampaio foi o primeiro a mostrar-se disponível para ser ouvido no Parlamento sobre a guerra do Iraque. O requerimento do PCP chama também a ser ouvido Durão Barroso, Paulo Portas e Martins da Cruz, todos membros integrantes do executivo em 2003.

zybjvmxe@pwrby.com'
Publicado por: Joana Silva

20 anos, natural da Madeira. Estuda jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social e é em Lisboa que está a dar os seus primeiros passos no jornalismo. Colabora também com o Bola na Rede.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *