Quem é a nova primeira-ministra do Reino Unido?

Theresa May substituiu esta quarta-feira David Cameron na chefia do governo britânico. Depois do referendo que ditou a saída do Reino Unido da União Europeia, Cameron demitiu-se e deu lugar à ex-ministra do Interior do seu governo.

Theresa MayDepois de se considerar “honrada” com o convite, prometeu um novo Reino Unido e fazer do “Brexit” um “sucesso”. Vinte anos depois da “dama de ferro” – Margareth Tatcher -, uma mulher volta à chefia do executivo. As comparações entre May e Tatcher são cada vez mais frequentes já que as duas vêm da mesma área política.

Assim como Tatcher, a nova primeira-ministra vem de uma família de classe média. Nasceu no sul de Inglaterra e estudou Geografia na Universidade de Oxford. Trabalhou no Banco de Inglaterra durante seis anos, percorrendo diversos cargos de chefia.

Chegou à politica em 1986 onde foi vereadora na Câmara de Merton eleita pelo Partido Conservador. Nos anos 90 é eleita para o parlamento britânico e nomeada para diversas secretarias de Estado como a do Trabalho e Pensões e da Educação. Em 2002 é a primeira mulher a chegar a Secretária-Geral do Partido Conservador onde permanece apenas um ano.

No ano da primeira eleição de David Cameron, é nomeada Ministra do Interior onde conseguiu um reorganização nas forças de segurança de modo a baixar a criminalidade. Orientou as políticas da imigração mas não conseguiu uma redução da entrada de estrangeiros do país.

Seis anos depois tem o maior desafio da sua carreira politica: orientar a saída do Reino Unido da União Europeia. É uma das figuras mais proeminentes do Partido Conservador e aos 60 anos atinge o topo da carreira política. Defendeu a permanência mas aceitou o resultado do referendo e o convite para assumir a chefia do governo britânico.

A curto prazo, Theresa May não pretende utilizar o artigo 50 do Tratado de Lisboa. Só a partir daqui é que começa o processo formal de saída da UE. Quer ouvir todas as força políticas e a sociedade civil para, até ao final do ano, tomar uma decisão definitiva. A imigração continua a ser um dos principais calcanhares de aquiles dos Conservadores. A nova primeira-ministra quer que os imigrantes que trabalham e residem no Reino Unido permanecem em solo britânico. Contudo, não dá garantias até à conclusão das negociações com a União.

Apesar de ter tomado posse ontem, já se fala em eleições antecipadas. Depois da demissão de Nigel Faraje, do UKIP (partido da independência), e da retirada de Boris Johnson da corrida à liderança do Partido Conservador, os críticos da nova chefe de governo exigem que hajam consequências dentro do partido de direita britânica após o resultado do referendo. Ainda assim, tudo deverá ficar na mesma pelo menos até 2020, data em que Theresa May termina o mandato.

Descomplicador:

Theresa May é a nova primeira-ministra do Reino Unido em substituição de David Cameron. Aos 60 anos, assume um cargo de elevada responsabilidade já que vai ser a própria a levar o Reino Unido à saída da União Europeia.

zmjgloth@clrmail.com'
Publicado por: Gonçalo Nuno Cabral

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *