Actualizado: Poder politico já reagiu aos atentados em Nice

Um atentado terrorista em Nice, França, vitimou até ao momento 84 pessoas e fez mais de 200 feridos (informação até às 18h30). O poder politico português e mundial tem estado a acompanhar o desenvolvimento dos trabalhos das autoridades no local e tem vindo a reagir durante as últimas horas.

O Presidente da República de Portugal foi um dos primeiros a reagir, tendo enviado um telegrama a François Hollande, presidente francês, onde diz que:

Foi com grande consternação que tomei conhecimento do hediondo atentado ocorrido esta noite em Nice, que teve lugar, para mais, num dia tão especial para França.

Os meus pensamentos estão com as dezenas de vítimas e com os seus familiares, com todos os franceses, em solidariedade fraterna neste momento de dor e de angústia.

Em meu nome e no de todos os Portugueses, envio as mais sentidas condolências ao Presidente François Hollande e a todo o povo francês.

O Primeiro-Ministro português, António Costa, reagiu através do Twitter com uma mensagem publicada em francês, onde diz: “Estamos com vocês, unidos no sofrimento. Portugal partilha os mesmos valores de França: liberdade, igualdade e fraternidade”.

Já o Governo português, também através do Twitter, acrescentou à mensagem de António Costa que: “Condenamos veementemente este atentado que ataque a França e os Europeus. Manifestamos total solidariedade para com a França e os franceses. A Embaixada e Consulados portugueses estão a trabalhar com as autoridades francesas e disponíveis para ajudar todos os que precisem”.

Nice

Entretanto, à RTP, o Secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, pediu aos franceses em Nice que “se mantenham compactos, que comuniquem uns com os outros” e que recorram “ao Consulado em Nice e em Marselha”, dizendo que até ao momento não há nota de vítimas portuguesas. Mais tarde, José Luís Carneiro veio confirmar a existência de um ferido de nacionalidade portuguesa.

Barack Obama, presidente dos Estados Unidos da América, que está a acompanhar a situação ao minuto, condena o “horroroso ataque em Nice”, dizendo ainda que os Estados Unidos disponibilizaram ao governo francês toda a ajuda que necessitem para investigar este caso. Obama diz ainda que “no Dia da Bastilha estamos recordados da extraordinária resistência e dos valores democráticos que tornaram a França um exemplo para o mundo”.

O ex-presidente francês, Nicolas Sarkozy também já publicou um tweet onde manifesta a sua “emoção profunda e tristeza infinita devido aos ataques a Nice”, mostrando solidariedade para os habitantes e vítimas da região atacada.

Christian Estrosi, ex-presidente da Câmara de Nice e presidente da região, disse também na sua página do Twitter que este “é o pior drama da história de Nice”. Estrosi tem sido uma das personalidades que mais novidades tem veiculado ao longo das últimas horas sobre este ataque.

Já o candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump disse que “a situação apenas tem vindo a ficar pior”, perguntando de forma retórica “quando é que aprendemos?”. Mais tarde o candidato norte-americano informou que cancelou a sua conferência de imprensa de Sexta-Feira, onde iria dar conta do seu Vice-Presidente.

A eurodeputada Marisa Matias, do Bloco de Esquerda, disse no Facebook que “já tantas mortes em tantos lugares do mundo e a tristeza em todas/os nós”. Já a deputada socialista Isabel Moreira disse também na mesma rede social: “todos os mortos de hoje assistiram às mortes anteriores. Podias ser tu. Podia ser eu. Nice: um dos locais por onde passei descontraída no verão passado numa viagem que fiz sozinha. Continuarei a fazer essas minhas caminhadas por onde me apetecer”.

Horas mais tarde, o Papa Francisco expressou a sua solidariedade e condenou as manifestações de “loucura homicida, de ódio, de terrorismo, de ataque à paz”. Angela Merkel reforçou mais uma vez que “a Alemanha está ao lado da França na luta contra o terrorismo” e Jean Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia disse que “a nossa determinação [em lutar contra o terrorismo], dentro e fora da UE, permanece firme, tal como a nossa unidade”.

Numa estreia em reacções oficiais, Boris Johnson, Ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, revelou estar “chocado” e “triste” com as inúmeras “perdas de vida” e “terríveis acontecimentos em Nice”. O Primeiro-Ministro espanhol, Mariano Rajoy revelou-se também consternado e enviou as condolências aos familiares das vítimas.

Descomplicador:

Nice foi alvo de mais um atentado terrorista e até à 1h tinha registado 73 mortos, mais de 100 feridos e 45 deles em estado grave. O poder politico tem estado a reagir, com Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa a terem enviado já a sua mensagem a François Hollande.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *