Mário Centeno é o Ministro das Finanças que menos gastou neste período do ano

Os número da Direção Geral do Orçamento (DGO) dão conta de que até agora o governo realizou 45,3% do orçamento previsto para este ano. Desde o ano de 2008 que o desvio no défice não era tão curto.

Mário CentenoSó Vítor Gaspar, Ministro das Finanças de Passos Coelho, tinha conseguido um melhor desempenho no controlo da despesa do que o atual titular da pasta. A antecessora, Maria Luís Albuquerque, já tinha executado 47,4% do previsto para o ano.

Mas nem tudo são boas noticias. Os dados da DGO dizem que o défice orçamental duplicou de junho para julho e atingiu o 4.980,8 milhões de euros. Ainda há uma melhoria em mais de 500 milhões de euros face ao mesmo período do ano passado.

A receita continua a ser muito maior do que a despesa, impulsionada pelo “reforço” da receita da receita fiscal e contributiva, diz a Direção Geral. O IVA cresceu 0,4% e o IRS rendeu menos 6% devido ao aumento dos reembolsos feitos pelo Estado aos contribuintes.

A recapitalização da Caixa Geral de Depósitos não será um problema para Mário Centeno já que não irá ser incluída no défice que conta para Bruxelas. Ainda assim, a injeção de 2,7 mil milhões de euros vai obrigar o governo a elaborar um orçamento retificativo.

Descomplicador:

A Direção Geral do Orçamento (DGO) divulgou os dados da execução orçamental do mês de julho. A despesa está mais controlada mas a receita está a crescer a ritmo muito lento.

zmjgloth@clrmail.com'
Publicado por: Gonçalo Nuno Cabral

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *