Jerónimo de Sousa diz que o PCP não aprova o próximo OE sem o conhecer

Quarenta anos de Avante no Seixal, a festa rija comunista terminou este domingo com Jerónimo de Sousa a deixar duras críticas aos partidos de direita e muitos avisos ao governo socialista sobre o Orçamento do Estado para o próximo ano.

Festa do Avante PCPA nossa decisão, será determinada sempre pelo seu conteúdo. O nosso compromisso é examinar a proposta, abertos que estamos a propor e encontrar soluções para que prossiga uma linha de devolução e reposição de direitos, de respeito pelos salários, de aumento das pensões”, avisou Jerónimo de Sousa no encerramento da Festa do Avante na Quinta da Atalaia.

Num discurso ouvido por milhares de militantes e simpatizantes que passaram este fim-de-semana pela festa comunista, Jerónimo diz que este não é um governo de esquerda e que o PCP “mantém total liberdade e independência políticas”. O líder comunista disse ainda que a solução política alcançada não substitui a necessária e cabal resposta aos muitos e graves problemas que anos e anos de política de direita”.

Portugal precisa de quebrar com “as imposições e chantagens que visam perpetuar a submissão, a exploração, o endividamento e empobrecimento”, relembrou Jerónimo. “As opções do PS e a sua assumida atitude de não romper com os constrangimentos externos são um grave bloqueio à resposta aos problemas do País”.

jeronimoApesar das críticas, Jerónimo diz que enquanto houver “compromisso de reverter diretos e rendimentos e inverter o curso para o desastre económico e social, o PCP não deixará de cumprir o que foi acordado no acordo parlamentar. Ainda assim, diz ser “indispensável ir mais longe”

Depois dos aplausos, os assobios da multidão para as fortes críticas de Jerónimo de Sousa a PSD e CDS. “É vê-los a ampliar mentiras e manobras contra o interesse nacional, da inevitabilidade dos «Planos B» de regresso ao saqueio ao povo, da germânica operação de um novo resgate”, disse.

A fechar, Jerónimo levantou a Quinta da Atalaia. “Lutamos por objectivos concretos e imediatos, para defender, repor e conquistar direitos, pela ruptura com a política de direita, por uma política patriótica e de esquerda”. Recados à esquerda, críticas à direita num ano em que a Festa do Avante voltou para a quadragésima edição com um espaço amplo e renovado.

Descomplicador:

Jerónimo de Sousa encerrou hoje a 40ª Festa do Avante no Seixal. O líder comunista deixou avisos ao governo quanto à aprovação do Orçamento para 2017 e muitas críticas à direita pelos quatro anos de governação

zmjgloth@clrmail.com'
Publicado por: Gonçalo Nuno Cabral

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *