Há seis meses Marcelo tomava posse como Presidente

Novo presidente e novo estilo. Foi há seis meses que Marcelo Rebelo de Sousa sucedeu a Cavaco Silva na Presidência da República. À primeira volta conquistou os portugueses e tornou-se num dos Presidentes mais populares de sempre.

Marcelo Rebelo de SousaEm janeiro afastou toda a concorrência e começou o seu caminho rumo a uma Presidência mais aberta. Que o digam os portugueses. Segundo o barómetro mensal da Eurosondagem, em Julho, Marcelo tinha 68,6% de avaliação positiva. Um resultado manifestamente mais favorável face a Cavaco que saiu de Belém com 40% de avaliação negativa.

Desde a tomada de posse, Marcelo Rebelo de Sousa apenas parou 15 dias em agosto para descansar. Até lá, e depois disso, já percorreu Portugal do Minho ao Algarve, visitou a Região Autónoma da Madeira por duas vezes e passou pelas Desertas e Selvagens.

Uma presidência aberta e muito mediática. Praticamente todos os dias, Marcelo comenta os diversos temas da atualidade e muitas vezes é o mediador nos conflitos entre o governo e a oposição. Utilizou o poder de veto político por duas vezes e continua a ser olhado com bons olhos à esquerda e à direita.

Apesar de ter advertido o governo para a possibilidade de rever as metas dos défice, Marcelo recusou sempre ser o protagonista de uma crise política. Um boa noticia para a “geringonça”, um desilusão para quem esperava que o chefe de estado se colocasse contra esta nova coligação de esquerda.

Marcelo Rebelo de Sousa 25 AbrilQuanto às visitas de Estado, a deslocação a Paris foi a mais inédita. Pela primeira vez, as comemorações do dia de Portugal realizaram-se num pais estrangeiro com uma das maiores comunidades emigrantes. Foi também à Alemanha falar com a chanceler Merkel, ao Vaticano num encontro com o Papa e esteve também no Brasil para acompanhar a abertura dos Jogos Olímpicos.

Em mais de 180 dias de mandato as polémicas foram poucas e prontamente resolvidas pelo chefe de estado. A mais sonante foi a deslocação a Lyon para assistir à meia-final do Europeia. Utilizou um Falcon da Força Aérea numa viagem que custou 14 mil euros. Marcelo justificou-se e pagou a viagem do seu próprio bolso.

Nas condecorações foi mais contido do que os seus antecessores. No 10 de junho condecorou apenas 3 civis porque, diz Marcelo, quis “valorizar o gesto de condecorar alguém”. Os campeões europeus de futebol e hóquei juntamente com os atletas olímpicos medalhados foram também outros dos distinguidos pelo Presidente nestes seis meses de mandato.

Até 2020 seguem-se mais quatro anos e meio de mandato com novos desafios em breve. O Orçamento de Estado para o próximo ano e as Eleições Autárquicas, dizem os especialistas, serão a prova de fogo para esta nova Presidência da República. A “Presidência dos Afetos”, inaugurada por Marcelo Rebelo de Sousa.

Descomplicador:

Marcelo Rebelo do Sousa tomou posse como Presidente da República a 9 de março deste ano. Em seis meses de mandato, o novo chefe de estado surpreendeu com uma nova forma de exercer a “magistratura”.

zmjgloth@clrmail.com'
Publicado por: Gonçalo Nuno Cabral

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *