As cinco prioridades de Costa para a rentrée

A maioria dos partidos politicos iniciaram já o arranque de mais uma jornada de trabalhos, depois da tradicional pausa de Verão. Falta agora ao Governo assinalar a rentrée politica depois de um verão “aquecido” com o caso da Galp e com os incêndios que deflagraram. A par disso, António Costa não se pode esquecer que o Orçamento de Estado para 2017 está “aí à porta”. Conhece as apostas principais da rentrée do executivo do Partido Socialista, anunciadas na iniciativa da Juventude Socialista em Braga.

A cultura

António Costa

“O próximo Orçamento terá um reforço claro do investimento na cultura, em particular no apoio à criação artística e à recuperação do património cultural”, disse o Primeiro-Ministro, que desde que se anunciou como candidato a Primeiro-Ministro tem feito da cultura uma das suas bandeiras. Ainda assim, apesar do reforço ter sido curto no último Orçamento de Estado, é de esperar que no documento para 2017, o ministério de Luis Castro Mendes veja a sua dotação aumentada.

A educação

A Juventude Popular e a JSD emitiram recentemente comunicados a criticar o ataque do governo às praxes, bem como o incumprimento financeiro para com as instituições de Ensino Superior. António Costa responde às criticas com mais atenção sobre o sector. O Primeiro-Ministro diz que vai “cumprir escrupulosamente o acordo de confiança assinado entre universidades e politécnicos para garantir ao Ensino Superior a previsibilidade no investimento, a autonomia na gestão das suas finanças e a maior capacidade de formação e de investigação”, acrescentando que “a educação é o que permite a difusão do conhecimento e este Orçamento do Estado vai ser também o Orçamento que começa a concretizar de forma sólida as prioridades das nossas políticas educativas”.

A saúde

O próximo Conselho de Ministros será dedicado ao Serviço Nacional de Saúde. O reforço do SNS será o tema principal do Conselho de Ministros extraordinário e que pretende de forma simbólica dar o tiro de partida para mais uma legislatura. Para António Costa, o Sistema Nacional de Saúde representa uma “peça central do nosso modelo social e condição essencial da coesão em Portugal”.

António Costa

A politica florestal

Outro dos temas em destaque nesta rentrée governamental é a politica florestal. Depois do flagelo dos incêndios durante o Verão, o governo quer “cortar o mal pela raíz” e impôr uma verdadeira reforma no sector florestal. “Temos que fazer agora da floresta uma reforma com a dimensão da de há 10 anos. […] Mais do que combater incêndios é necessário preveni-los e para os prevenir é preciso uma gestão ativa de uma floresta sustentável, de uma florestal sofisticada, de uma floresta que seja fonte de riqueza e não uma ameaça à segurança das populações e dos seus bens”, disse o chefe do governo.

A descentralização

António Costa avançou também que vai reunir o “conselho de concertação territorial para concluir o debate com os autarcas” por forma a analisar mais hipóteses de descentralização, isto quando estamos a pouco mais de um ano das próximas eleições autárquicas. O Primeiro-Ministro quer avançar com o reforço das áreas metropolitanas e das CCDR’s e pretende que nas próximas autárquicas os presidentes das CCDR’s sejam já escolhidos pelo voto dos cidadãos.

Descomplicador:

António Costa anunciou numa iniciativa da Juventude Socialista em Braga, quais as prioridades do executivo na rentrée. O Orçamento de Estado de 2017 está “à porta” e muitas das medidas estão relacionadas com o reforço de investimento em áreas chave para o executivo do PS.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *