PSD Lisboa volta a afastar hipótese de apoiar Cristas e aponta Fevereiro como “um bom timing”

O líder do PSD de Lisboa, Mauro Xavier, voltou a afastar a hipótese dos sociais-democratas apoiarem a candidatura de Assunção Cristas à liderança da Câmara Municipal de Lisboa. Para o presidente da concelhia não há pressa para apresentar o candidato do partido, reforçando que sempre que o CDS apresentou candidatos fortes o PSD venceu.

Assunção Cristas

“O apoio do PSD a Assunção Cristas é uma não-questão” disse Mauro Xavier ao Expresso. Aliás, o líder do PSD Lisboa sempre foi um dos nomes que mostrou mais reservas a apoiar Assunção Cristas, colocando sempre essa possibilidade como muito difícil. Mauro Xavier recusa ainda a análise de Marques Mendes, que disse ontem na SIC que a candidatura de Cristas tinha feito “xeque-mate” ao PSD.

Para o presidente da concelhia do PSD na capital, sempre que o CDS apresentou “candidatos fortes, como Paulo Portas e Maria José Nogueira Pinto, o PSD acabou por triunfar”, discordando assim da análise do comentador e ex-presidente do partido. Para o presidente da concelhia também ““não faz sentido estar a lançar um candidato a um ano de distância”. Mais uma vez, o nome de Santana Lopes é o mais desejado por todos os vértices do triângulo (direcção nacional, distrital e local), mas mantém para já o tabú.

Para Mauro Xavier, Fevereiro parece ser um bom timing para anunciar o nome do candidato social-democrata, que se for “um candidato mobilizador, o facto de não ir coligado com o CDS até é bom, porque isso permite segurar o voto de protesto à direita”. No entanto se Santana Lopes não for esse candidato mobilizador, as alternativas parecem gerar mais discórdia, com José Eduardo Martins a ter sido sondado pela concelhia, mas com a direcção nacional a preferir Jorge Moreira da Silva ou Maria Luis Albuquerque.

Descomplicador:

O presidente do PSD de Lisboa volta a afastar a hipótese dos sociais-democratas apoiarem Assunção Cristas na corrida à Câmara Municipal de Lisboa. Para Mauro Xavier, sempre que o CDS apresentou um candidato forte, o PSD acabou por vencer, dando os exemplos das candidaturas de Portas e de Maria José Nogueira Pinto.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *