Eutanásia junta bastonários da Ordem dos Médicos

A eutanásia é mais um dos temas fracturantes que está a dividir também a classe médica. Cinco bastonários da Ordem dos Médicos assinaram uma carta onde consideram que a eutanásia é “uma violação grave e inaceitável da ética médica”. No entanto, a posição não é consensual dentro da classe.

Eutanásia

“A vida humana é inviolável”, dizem cinco bastonários da Ordem dos Médicos na carta que tornaram pública a criticar a morte medicamente assistida. José Manuel Silva, actual titular do cargo, Gentil Martins, Carlos Soares Ribeiro, Germano de Sousa e Pedro Nunes são os cinco nomes que assinam esta missiva que está já a dividir a classe entre os que apoiam ou não esta prática.

Para estes cinco nomes, “a eutanásia, o suicídio assistido e a distanásia representam uma violação grave e inaceitável da ética médica”, uma posição que surge depois de ser conhecido o primeiro caso de eutanásia a um menor na Bélgica. Os cinco bastonários da Ordem dos Médicos acrescentam ainda que têm “o dever de tentar prevenir casos como este em Portugal. A eutanásia é a negação da nossa profissão. Somos contra a eutanásia, suicídio assistido e distanásia, independentemente do contexto e da situação”, afirmam.

No entanto, dentro da classe médica a opinião não é unânime, tendo em conta que existem profissionais do sector que subscreveram o manifesto que abriu o debate da eutanásia em Portugal há alguns meses atrás. Jorge Torgal, professor da Nova Medical School, diz ao Expresso que “esta situação tem a ver com os direitos individuais dos cidadãos. É por isso que defendo que deve haver uma despenalização da eutanásia”.

Já no que toca aos candidatos à Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, actual presidente do Conselho Regional do Norte e candidato à Ordem, subscreve as palavras dos seus colegas. Já Álvaro Beleza, ex-membro do Secretariado Nacional do PS, tem uma opinião mais aberta, dizendo que “como cidadão defendo o direito ao suicídio com dignidade. A questão da Ordem é se os médicos podem ou não participar na eutanásia: nunca”.

Descomplicador:

Cinco bastonários da Ordem dos Médicos assinaram uma carta onde criticam a prática da eutanásia, afirmando que viola o código de ética da classe médica. Entre os candidatos à Ordem, há consenso no papel dos clínicos, mas não na abrangência da lei sobre a prática da eutanásia.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *