Depois do Secretário de Estado, agora Ministro do Ambiente critica taxistas

Depois do Secretário de Estado dos Transportes, José Mendes, ter elogiado a Uber e criticado o sector dos táxis, agora foi a vez do Ministro do Ambiente, João Matos Fernandes ter lançado algumas criticas o mesmo sector, no dia que antecede o protesto que promete juntar mais de seis mil taxistas em Lisboa.

joao-matos-fernandesApesar de salvaguardar que os táxis representam um sector importante no ecossistema da mobilidade, João Matos Fernandes diz que o sector precisa “de se modernizar de forma acelerada”. O Ministro do Ambiente considera ainda que o protesto de amanhã é “injusto e injustificável”.

Para o ministro com a tutela da mobilidade, o grande desafio do executivo é que o automóvel “deixe de ser rei” e que o “serviço dos transportes coletivos tem de ser melhorado a pensar num novo padrão de procura a cada dia menos determinístico, as cidades terão de desenhar o seu espaço público e pensar nos peões e nas bicicletas”.

João Matos Fernandes acrescenta ainda que os serviços como a Uber e a Cabify, são “um fenómeno mundial, filho da sociedade de informação, e como qualquer serviço económico com esta génese cresce apenas com as regras do mercado, existindo porque os clientes o desejam”, enumerando ainda os benefícios dos táxis, como os que existem a nível fiscal e a utilização das faixas Bus.

Descomplicador:

O Ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, criticou os taxistas num artigo de opinião publicado no jornal Público, onde defende que o sector tem que se “modernizar de forma acelerada” e que a Uber e a Cabify nasceram da vontade dos clientes.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *