O terceiro round acontece esta noite: qual dos candidatos ficará KO?

Nunca antes destas eleições presidenciais norte-americanas se viram palcos de debate que se assemelhassem tanto a ringues de boxe. Nos dois primeiros confrontos que opuseram Hillary Clinton e Donald Trump, viu-se um pouco de tudo – Trump a assegurar que prenderá Clinton se for eleito, as supostas vítimas de Bill Clinton a assistir ao segundo debate, os estranhos casos do candidato que segue a oponente como uma sombra e o homem de camisola vermelha que se tornou o improvável vencedor de um debate sujo.

É já esta noite que Clinton e Trump voltam a enfrentar-se, desta vez no ambiente mais tenso de toda a campanha, o que indicia que a atmosfera do vale tudo que rodeou os confrontos anteriores – particularmente o segundo – pode voltar a prevalecer. “Viram o debate de ontem à noite?  Não sei se vão voltar a ver alguma coisa assim”, perguntava Clinton num comício recente aos seus apoiantes. Esta noite tiram-se as dúvidas, mas as previsões não são de um debate limpo, com a candidata democrata a vencer em todas as sondagens e o adversário republicano a esforçar-se para salvar a campanha.

Um debate no meio de escândalos

Hillary ClintonO debate desta quarta-feira acontece no meio de uma série de escândalos que envolvem os dois candidatos. Se Clinton enfrenta a controvérsia dos discursos em que parece contradizer algumas das suas posições atuais, feitos no passado para bancos de Wall Street associados à crise financeira de 2008 e revelados agora pela Wikileaks, Trump tem como principais preocupações as acusações de várias mulheres que dizem ter sido vítimas de abusos sexuais do multimilionário, depois de no último debate ter sido confrontado com o vídeo de 2005 em que parecia gabar-se de assediar mulheres por ser “uma celebridade”.

Clinton em vantagem

Segundo os números das últimas sondagens, a candidata democrata parte para o último confronto em clara vantagem, pelo que os media internacionais preveem que Clinton só perderá terreno neste debate se cometer um deslize enorme. Segundo o último estudo da Bloomberg Politics, Clinton segue com 9 pontos de vantagem entre os eleitores prováveis, estando um ponto à frente entre o eleitorado masculino, que tem sido um dos pontos fortes de Trump.

De acordo a média das várias sondagens pelo Huffington Post, a candidata tem uma vantagem de oito pontos em geral – e surpreende com bons resultados em estados tradicionalmente republicanos, como o Arizona, Nevada ou Texas. Já o New York Times adianta que a probabilidade de os Estados Unidos elegerem pela primeira vez uma mulher para a Casa Branca é de 92%.

Preparações desiguais e temas quentes para o último debate

Donald TrumpNuma altura em que faltam 20 dias para as eleições, o “The Guardian” antecipa que este será “o confronto mais surreal desde que Mike Tyson mordeu repetidamente a orelha de Evander Holyfield no meio de um pesado combate de boxe”. Pela parte de Trump, espera-se que como é habitual os seus 90 minutos sejam dedicados maioritariamente ao improviso; já a democrata é conhecida pela preparação exaustiva e já veio esclarecer que o seu foco estará em políticas e não em ataques pessoais.

O debate decorrerá na Universidade do Nevada e o moderador Chris Wallace, da Fox News, guiará os candidatos por temas quentes como a imigração, a economia ou a elegibilidade de cada um para a presidência.

Como e onde ver o confronto final

As televisões portuguesas – neste caso, a RTP3 e a SIC Notícias – começarão a emissão pelas 1h30, estando o debate marcado para as 2h portuguesas. Se preferires acompanhar o confronto online, poderás fazê-lo através dos diretos de Facebook que serão transmitidos nas páginas de órgãos como a ABC, Buzzfeed ou The New York Times; no Youtube, serão os canais de meios como a NBC, CBS, The Washington Post e The News York Times a fazê-lo.

Descomplicador:

O último debate entre Clinton e Trump acontece esta noite, pelas 2h de Portugal continental, e promete ser um dos “confrontos mais surreais” da política dos tempos modernos.

Publicado por: Mariana Lima Cunha

21 anos, natural de Oeiras. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós-graduada em Comunicação e Marketing Político pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Jornalista online do Expresso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *