Polémica com o Ensino Superior volta a fazer mossa num governo

Depois da polémica com a licenciatura de José Sócrates no governo liderado pelo próprio e da polémica com Miguel Relvas no governo de Passos Coelho, eis que no de António Costa surge também uma idêntica. Rui Roque era (demitiu-se há horas) membro do gabinete do Primeiro-Ministro, mas tinha declarado uma falsa licenciatura nos dados que entregou aquando da sua nomeação. A informação foi trazida a público pelo Observador.

rui-roque-ps-antonio-costa

Segundo o despacho de nomeação, Rui Roque, assessor para os assuntos regionais de António Costa, era licenciado em Engenharia Electrotécnica pela Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra (FCTUC), no entanto, veio-se a descobrir que Roque tinha apenas concluído com aproveitamento quatro cadeiras, um número manifestamente insuficiente para obter o grau de licenciado.

Rui Lizardo Roque deu entrada na Universidade de Coimbra no ano lectivo de 1997/1998, no curso de Engenharia Física, tendo mudado no ano seguinte para Engenharia Electrotécnica. Anos mais tarde, Rui Roque podia ter pedido equivalência ao processo de Bolonha, mas não o fez devido a falta de aproveitamento em várias cadeiras que seriam essenciais para obter o grau de licenciado.  Ao que avança também o Observador, entre 1998 e 2002, Rui Roque completou apenas quatro cadeiras do curso.

Depois de inicialmente ter dito ao Observador que “os dados constantes na minha nota curricular de nomeação baseiam-se nas informações prestadas pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra datadas de outubro de 2009”, Rui Roque acabou por pedir a demissão, que foi aceite por António Costa, ao final de Terça-Feira, 25 de Outubro, poucas horas depois da polémica ter rebentado.

Com 37 anos e natural de Granja do Ulmeiro (concelho de Soure), Rui Roque é membro da Assembleia de Freguesia desta vila, desempenhando ainda funções na Federação Distrital do PS de Coimbra e na concelhia de Soure. Rui Roque era o “operacional” de António Costa no terreno, preparando as saídas do Primeiro-Ministro em território nacional, tal como fez na campanha para as eleições legislativas de 2015.

Descomplicador:

O assessor de António Costa para os assuntos regionais declarou uma falsa licenciatura aquando da sua nomeação para o gabinete do Primeiro-Ministro. Horas depois da polémica ter rebentado, Rui Roque pediu a demissão, que foi aceite pelo gabinete de António Costa. Rui Roque era alegadamente licenciado em Engenharia Electrotécnica pela Universidade de Coimbra, apesar de só ter concluído com aproveitamento quatro cadeiras.

 

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *