Da esquerda à direita, a despedida sentida a Miguel Veiga

Faleceu ontem o fundador do Partido Social Democrata, Miguel Veiga. Com 80 de idade faleceu na sua casa da Foz, no Porto e da esquerda à direita várias têm sido as mensagens de pesar e os elogios a uma figura que gerou simpatias em todos os quadrantes. A Câmara do Porto decretou três dias de luto municipal.

Miguel Veiga

Apesar de ter sido fundador do PSD, Miguel Veiga apoiou a candidatura presidencial de Mário Soares à Presidência da República e foi um dos grandes dinamizadores da candidatura de Rui Rio e de Rui Moreira à Câmara do Porto, segundo adianta o Expresso.

Foi membro do júri do Prémio Pessoa desde a sua fundação e pertenceu ao Conselho de Administração do grupo Imprensa, tendo ainda recebido a Ordem da Liberdade e a Medalha de Honra da Cidade do Porto. O funeral realizou-se esta tarde no Cemitério de Agramonte, depois do corpo ter sido velado no Palacete Visconde de Balsemão.

Segundo nota assinada pela Câmara Municipal do Porto, que decretou três dias de luto municipal, Miguel Veiga representava “aqueles que têm a capacidade de o fazer são, nesta perspectiva, os que inspiram e quantas vezes determinam a conquista. E, se é da conquista que nasce a pátria, é também na conquista que se inspiram e concretizam o desejo e o carácter”, são as palavras de Rui Moreira.

Da esquerda à direita várias foram as personalidades que têm deixado palavras de pesar pelo falecimento de Miguel Veiga. Tiago Barbosa Ribeiro, presidente do PS do Porto lamentou o seu desaparecimento, enquanto José Pedro Aguiar Branco escreveu na sua página do Facebook que “o Miguel Veiga era um dos grandes. Um dos que soube construir a democracia no debate e na discordância. É e continuará a ser uma referência para Portugal e para o PSD”.

Um dos relatos mais emocionados foi de Francisco Pinto Balsemão, que num artigo intitulado “Morreu o meu amigo Miguel” descreveu a sua relação com o também fundador do PSD, recordando a honestidade de Miguel Veiga e dizendo até que “naquilo a que se chama vida social, divertimo-nos, nos mais diversos registos, em Portugal e no estrangeiro. Vivemos histórias inacreditáveis, algumas com inevitável preponderância do sexo feminino. E o Miguel era um grande contador de histórias, por vezes acrescentando um ponto, como ele próprio reconhecia”.

Descomplicador:

Miguel Veiga, portuense e fundador do PSD, faleceu ontem com 80 anos. Da esquerda à direita várias foram as palavras emocionadas, das quais se destacam as de Francisco Pinto Balsemão.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *