Paulo Macedo na Caixa. Partidos à “cautela”

Paulo Macedo será ao que tudo indica o próximo presidente da Caixa Geral Depósitos. À direita e à esquerda as reacções fizeram-se ouvir com alguma cautela. A direita acredita na figura mas tem dúvidas quanto à saúde do banco, já a esquerda tem reservas quanto ao nome.

Paulo Macedo

O Diário de Noticias avança que a informação foi já confirmada por uma fonte do Governo e que o nome do ex-Ministro da Saúde terá já seguido para o Banco de Portugal, para depois ser enviado para o Banco Central Europeu. Inicialmente Paulo Macedo terá declinado o convite, mas devido à insistência do executivo acabou por aceitar.

Paulo Macedo deverá assumir o lugar de CEO, enquanto Rui Vilar deverá manter-se como chairman do banco. Para já as reacções fizeram-se ouvir com várias reservas. O PSD disse, através de António Leitão Amaro, que “é um independente que respeitamos e estimamos, mas as regras, os princípios básicos de transparência, boa gestão pública, escrupuloso cuidado na aplicação do dinheiro dos contribuintes, valem independentemente das pessoas, por mais estimadas que elas sejam”, acrescentando que “todas as trapalhadas que aconteceram na Caixa Geral de Depósitos há quase um ano nunca foram uma questão de pessoas, foram uma questão de escolhas, de más decisões, de incompetência do Governo”.

O CDS elogiou o perfil de Paulo Macedo, lembrando o seu trabalho como Ministro da Saúde. Já à esquerda, reservas quanto ao nome mas não quanto ao papel da Caixa. Catarina Martins, do Bloco de Esquerda, diz que “foi uma escolha do Governo. Não vamos comentar uma escolha que não passou por nós. Espero que se abra uma nova fase na Caixa Geral de Depósitos, de exigência e transparência”.

Já o Partido Comunista Português, reunido em congresso, diz que o nome de Paulo Macedo oferece “muitas reservas”, tendo sido “um dos mais importantes ministros do Governo PSD/CDS. Fez um trabalho que levou a que uma grande parte do Serviço Nacional de Saúde fosse sendo privatizada”, concluindo assim que não reúne as condições para ser o presidente da Caixa Geral de Depósitos”.

Descomplicador:

Paulo Macedo será ao que tudo indica o próximo presidente da Caixa Geral Depósitos, mas é um nome que tem gerado várias reservas. À direita critica-se o papel do governo quanto à Caixa, já à esquerda é o nome do novo presidente que gera “cautelas”.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *