Isabel Moreira “aproveitou” a presença de Luaty no Parlamento para criticar Angola e elogiar o activista

Meses depois de ter sido recusado na Assembleia da República o voto de solidariedade para com a sua causa, Luaty Beirão foi hoje aplaudido no Parlamento, depois de uma intervenção da deputada socialista Isabel Moreira, que utilizou uma figura regimental que não compromete o partido.

Com Luaty Beirão nas galerias do Parlamento, Isabel Moreira criticou a “ditadura brutal” que se vive em Angola e as “elites corruptas” do país africano. Para Isabel Moreira, Luaty conseguiu uma “vitória da coragem sobre o medo” ao conseguir “despir o regime”.

Isabel Moreira relembrou que “a greve de fome por 36 dias não foi uma decisão banal” e que José Eduardo dos Santos lidera uma elite que está no poder há 40 anos e que controla “ostensivamente a imprensa, que é um órgão de propaganda do regime”.

Para a deputada socialista, a falar em nome individual, “é importante não banalizarmos a coragem”, concluindo ao dar os parabéns a Luaty Beirão por ter “conseguido” para já vencer esta luta, que no entanto, “continua”.

A bancada mais efusiva foi a do Bloco de Esquerda, que aplaudiu de pé, acompanhada por vários deputados do PS e do PSD, como Duarte Marques e do CDS, especialmente por Teresa Caeiro e Ana Rita Bessa. Os únicos a não aplaudir esta intervenção, foram os deputados do PCP.

Descomplicador:

A deputada do PS, Isabel Moreira, utilizou uma figura regimental que permite ilibar o partido da sua opinião, para defender o activista angolano Luaty Beirão. A intervenção foi aplaudido por deputados do Bloco de Esquerda, PS, PSD e CDS.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *