Depois de Paulo Macedo só falta ao PS chamar Nuno Crato, diz Passos Coelho

O líder do Partido Social Democrata, Pedro Passos Coelho, reagiu com ironia à escolha de Paulo Macedo para a Caixa Geral Depósitos. Num jantar de Natal em Portalegre, Passos Coelho disse em jeito de brincadeira, que depois da escolha de Paulo Macedo, só falta chamarem o ex-Ministro da Educação, Nuno Crato.

 

“Ainda não nomearam Nuno Crato para coisa nenhuma, ainda não chegaram lá”, disse Pedro Passos Coelho, depois de dizer que apesar do Partido Socialista ter acusado Paulo Macedo de ter desmantelado o Serviço Nacional de Saúde, não teve problemas em chamá-lo para “tratar” da Caixa Geral Depósitos.

Nesse jantar de Natal no distrito de Portalegre, Pedro Passos Coelho pediu ainda isenção aos ministros do executivo liderado por António Costa. “Os ministros não podem deslocar-se para participar em sessões partidárias”, referiu o líder dos sociais-democratas.

Pedro Passos Coelho referia-se com este recado a uma iniciativa que decorreu em Alter do Chão, que contou com os ministros Pedro Marques, Capoulas Santos e Manuel Caldeira Cabral, pedindo assim “isenção e imparcialidade” aos membros do governo.

Descomplicador:

Pedro Passos Coelho ironizou com a escolha de Paulo Macedo para a Caixa Geral Depósitos, dizendo que “ainda não nomearam Nuno Crato para coisa nenhuma, ainda não chegaram lá”, fazendo referência às críticas de que Paulo Macedo foi alvo enquanto Ministro da Saúde.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *