Obama vai defender o legado no discurso de despedida

A despedida de Obama já está marcada. Dia 10 de Janeiro, em Chicago, a sua cidade natal, o ainda presidente dos Estados Unidos da América vai fazer o seu último discurso enquanto chefe de estado norte-americano. A defesa do seu legado e o seu papel no futuro, em especial com uma administração Trump, serão os temas em destaque na sua despedida.

Barack Obama já agendou a intervenção para McCormick Place, um centro de congressos e terá ainda a oportunidade para “agradecer por esta incrível viagem, de celebrar a forma como mudaram este país para melhor nestes últimos oito anos e de oferecer algumas ideias sobre para onde vamos a partir daqui”, segundo diz nota oficial da presidência.

Num email dirigido aos seus apoiantes, Obama convida os seus apoiantes a estarem presentes, dizendo que o que fez nos últimos anos “foi sempre por vocês”. De férias no Havai, Obama confessou que ainda só escreveu uma parte inicial do seu discurso de despedida, onde deverá aproveitar para falar sobre o seu papel no futuro, em especial quando uma das garantias de Donald Trump é reverter algumas das bandeiras da sua administração.

Discurso de ano novo saudou os “progressos extraordinários”

“No momento em que viramos a página e olhamos para o futuro, quero agradecer-vos por tudo o que fizeram para que os EUA se tornassem num país mais forte, nos últimos oito anos”, disse Barack Obama na mensagem de vídeo que enviou aos norte-americanos.

O presidente dos Estados Unidos assinalou os “progressos extraordinários” de um país que “estava à beira da depressão” e que agora é visto “com mais respeito” e como “um país mais forte”. Numa mensagem de 3m47s, Obama relembrou que mensalmente 800 mil americanos perdiam os seus empregos e que estavam destacados no Iraque e no Afeganistão mais de 80 mil militares.

Destacando a captura de Osama Bin Laden ou a abertura das relações com Cuba, Obama concluiu dizendo que ter sido presidente dos Estados Unidos da América e confessando que agora se prepara para o papel mais difícil, “o de ser cidadão”. Para o presidente que está de saída, “continuar a levar os EUA para a frente é uma tarefa que temos de continuar a realizar. Esta tem sido a nossa história: a história de pessoas que juntas, com força, devagar e às vezes de forma frustrada, mas sempre com um trabalho vital de auto-controlo”, disse.

Descomplicador:

Barack Obama vai despedir-se dos norte-americanos no dia 10 de Janeiro, num discurso marcado para a sua cidade natal, Chicago. Já na última mensagem de ano novo como presidente norte-americano, Obama aproveitou para fazer um balanço dos principais destaques da sua administração.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *