Francisco Assis defende eleições antecipadas

O eurodeputado do Partido Socialista, Francisco Assis, sugeriu hoje ao jornal Público a realização de eleições antecipadas, devido à falta de estabilidade política da actual maioria parlamentar composta pelo PS, Bloco de Esquerda, PCP e Verdes. Assis sempre foi uma das vozes mais críticas relativamente a esta solução.

“Há questões de fundo em relação às quais não há possibilidade de entendimento à esquerda, e cada vez mais vai ser impossível neste contexto haver entendimentos à direita, portanto vamos entrar numa situação de impasse, que eu julgo que pode pôr em causa a estabilidade política”, disse Francisco Assis aos microfones da Antena 1, repetindo depois a ideia num artigo de opinião no Público.

O eurodeputado socialista entende que a solução actual pode criar situações de “impasse” e de “impasse”, pondo em causa a “estabilidade politica”. Francisco Assis entende que nem o Presidente da República pode assegurar esta estabilidade, entendendo que Marcelo Rebelo de Sousa, “tem feito o que pode e o que não pode para garantir esta estabilidade política, mas há hoje um conjunto de dinâmicas das várias forças parlamentares que reforçam o risco de instabilidade da vida política portuguesa”.

Francisco Assis defende assim eleições antecipadas, defendendo que o resultado pode até ser mais favorável ao Partido Socialista. “Por muitos custos que possa ter, não vislumbro outra [solução] que não passe a curto ou médio prazo pela realização de eleições legislativas antecipadas. Curiosamente, se elas se realizassem no curto prazo provavelmente proporcionariam ao PS a possibilidade de obter a legitimidade que agora não tem para agir, de facto, como partido charneira nesta fase da nossa vida democrática”, conclui o eurodeputado.

Descomplicador:

Francisco Assis defendeu a realização de eleições antecipadas depois da polémica entre as esquerdas com a questão da TSU. O eurodeputado socialista, que sempre foi contra a actual solução, acredita ainda que caso as eleições se realizassem “no curto prazo” poderiam ter um resultado muito favorável ao Partido Socialista.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *