Os momentos marcantes do dia em que Trump se tornou Presidente

Quando os norte-americanos acordaram na manhã desta sexta-feira, ainda era Barack Hussein Obama quem comandava os destinos do país. Quando se foram deitar, era já Donald J. Trump que, tal como nos próximos quatro anos, ocupava a Casa Branca. No meio de um dia tão cheio e aguardado, selecionámos para ti os momentos mais caricatos e inesperados da tomada de posse de Trump:

Um evento pouco concorrido?

Foi logo pelas 6h da manhã em Washington, 11h em Lisboa, que o preenchido dia começou: as portas abriram-se ao público enquanto da agenda do 45º Presidente americano constavam dois eventos iniciais: a missa, na igreja de St. John’s, e o encontro com Barack e Michelle Obama para tomar café. Enquanto isso, as áreas circundantes enchiam-se com a audiência que se preparava para assistir ao grande dia… Ou não. Imagens que circularam pelas redes sociais mostravam a pouca afluência ao evento, em comparação com o dia da primeira tomada de posse de Barack Obama, que paralisou a zona. A meteorologia poderá não ter ajudado – afinal, o dia estava frio e entre o público viam-se pessoas que tentavam proteger-se da chuva.

The land of the free and the home of the brave

Após um discurso nacionalista em que Trump apresentou as suas ambições para este mandato – criar emprego para todos, “erradicar da face da terra o radicalismo islâmico” – e, tal como durante a campanha, se apresentou como o Presidente do povo, contra as elites (“Estamos a transferir o poder de Washington DC e a devolvê-lo a vocês, às pessoas. Durante demasiado tempo, um pequeno grupo na capital da nossa nação tem repetidamente recompensado o governo enquanto as pessoas pagam a conta”), foi a vez de se ouvir o hino norte-americano. Com uma curiosidade a assinalar: desta vez, quem o cantou não foi uma estrela reconhecida (há quatro anos, Beyoncé cantava para Obama o “Star Spangled Banner”), mas antes um novo talento, Jackie Evancho, a menina de 16 anos que ficou conhecida por cantar ópera no America’s Got Talent.

Espaço para dois Presidentes?

Um dos momentos mais surpreendentes do dia foi o discurso de Barack Obama, que coincidiu com o momento em que Trump, rodeado de família e alguns elementos da sua equipa, assinava os seus primeiros decretos enquanto chefe de Estado norte-americano. Com as televisões divididas entre os dois momentos e já depois de se ter despedido de Trump e do seu vice-presidente, Joe Biden, e entrado no helicóptero que o afastou da Casa Branca, Obama falou para se despedir da sua equipa, agradecer o apoio que recebeu nestes oito anos e deixar recados. “Isto não é um ponto final, é uma vírgula na história contínua da América”, declarou, falando na base aérea de Andrews momentos após estar oficializada a posse do seu sucessor.

Transição pouco pacífica

Embora muitas pessoas de vários grupos marcassem presença em Washington para protestar pacificamente,o dia foi também de tensões e cerca de 200 pessoas acabaram por ser detidas na sequência de alguns confrontos e protestos violentos. Antes e depois da tomada de posse, perto da Casa Branca irromperam alguns protestos, entre eles de anarquistas e manifestantes que bloquearam estradas, incendiaram caixotes do lixo e danificaram carros, conforme relata a imprensa internacional.

Descomplicador:

O dia que se esperava desde que os norte-americanos foram às urnas chegou: Donald J. Trump já é o 45º Presidente dos Estados Unidos, não sem ter passado por alguns momentos surpreendentes e marcantes que compilamos aqui.

Publicado por: Mariana Lima Cunha

21 anos, natural de Oeiras. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós-graduada em Comunicação e Marketing Político pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Jornalista online do Expresso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *