Primeira manifestação em defesa dos média decorreu em Nova Iorque

A primeira manifestação em defesa da comunicação social decorreu ontem em Nova Iorque, onde cerca de 250 pessoas se juntaram junto ao quartel-general do The New York Times para defenderem os meios de comunicação social contra a administração de Donald Trump.

A manifestação surgiu na sequência do bloqueio de Donald Trump a vários meios de comunicação social, entre os quais o The New York Times, o Los Angeles Times ou a CNN. Esta foi assim a primeira vez que centenas de pessoas se juntaram para defender a imprensa, numa cidade que tem recebido cada vez mais protestos anti-Trump.

Vários manifestantes levaram consigo cartazes onde citavam a primeira emenda da Constituição norte-americana, enquanto outros surgiram de boca tapada, para simbolizar a tentativa de silenciar os meios de comunicação social.

“A democracia não pode funcionar sem uma imprensa livre e independente, e é isso que esta administração está a tentar fazer: silenciá-los. Não vamos deixá-los fazer isso”, disse uma das manifestantes, citada pela Agência Lusa.

Recentemente, Donald Trump anunciou que não ia marcar presença no jantar de correspondentes dos jornalistas da Casa Branca, um evento que está a ser boicotado por vários meios de comunicação social devido à atitude do presidente norte-americano.

Descomplicador:

Nova Iorque recebeu ontem a primeira manifestação pró-imprensa, ao reunir mais de 250 pessoas junto ao edifício do The New York Times, um dos meios de comunicação social afectados pelo bloqueio de Donald Trump.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *