Juncker: “Temos a Europa nas nossas mãos”

O Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, apresentou hoje o Livro Branco, que é como quem diz os cinco cenários possíveis para o futuro da União Europeia.

Juncker quer inverter o que tem acontecido nos últimos anos na UE, em que os Estados-Membros (EM) têm atribuído as culpas a Bruxelas pelos resultados obtidos. “Chegou a hora de uma Europa unida a 27 definir a sua visão para o futuro”, disse.

A partir de agora são os 27 que vão discutir e aprovar as medidas que vão ter de adotar para o futuro. A Comissão quer então criar cenários possíveis do que poderá ser a Europa no ano de 2025, com os todos os EM a cooperar e a refletir sobre os novos desafios.

O documento apresentado hoje no Parlamento Europeu será discutido durante este mês já na Cimeira de Roma, onde vão estar reunidos os 27. Jean-Claude Juncker afirma: “Este é o início do processo, não o fim, e eu espero que dê lugar a um debate honesto e abrangente”.

Quais são os cenários em cima da mesa?

O primeiro cenário propõe “assegurar a continuidade”, o que significa manter as reformas que estão em curso e que são consideradas “positivas”. Num segundo momento, a UE fala na continuação do Mercado Único, já que até hoje os 27 foram incapazes de chegar a um consenso quanto a um mercado com outros “domínios estratégicos”. O terceiro cenário proposto dá liberdade aos países da UE para irem mais além em diversas matérias como a defesa ou assuntos sociais. O quarto cenário dá a possibilidade de se reduzir a burocracia e aumentar a eficiência em domínios de menor importância estratégica. Finalmente, a Comissão dá espaço a uma Europa cada vez mais federalista, para que os países estabeleçam mais pontes entre si e cheguem a consensos de uma forma conjunta.

O que dizem os países?

Sendo que os cenários que vão ser apresentados têm “velocidades” de aplicação completamente distintas, nem todos os países estão de acordo. Esta mesma circunstância pode indicar visar “castigar” países como a Hungria, que estão a braços com partidos nacionalistas com poder e que não respeitam a democracia e o Estado de Direito.

Em matéria de defesa, por exemplo, os países do Sul como Portugal estão favoráveis a uma maior cooperação entre os Estados-Membros, mas apenas se o núcleo de discussão for circunscrito aos 19 da Zona Euro.

Apesar de ser apresentado hoje este Livro Branco está longe de estar fechado, com o Presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, a continuar a discutir os cenários que estão em cima da mesa e a receber propostas dos vários governos da União Europeia. Se não houver unanimidade, este documento não irá passar de uma declaração assinada pelos líderes das principais instituições europeias.

 

Descomplicador:

O Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, apresentou no Parlamento Europeu os cinco cenários para o futuro da União Europeia a 27. O objetivo é “manter a Europa unida a 27”.

zmjgloth@clrmail.com'
Publicado por: Gonçalo Nuno Cabral

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *