Alain Juppé retira-se definitivamente da corrida

“É demasiado tarde para mim, mas não é demasiado tarde para a França”. Foi assim que Alain Juppé anunciou, esta manhã, aos franceses que iria desistir de ser candidato às presidenciais francesas. Em conferência de imprensa, o ex-candidato mostrou-se crítico para com François Fillon, o outro candidato de direita.

Considerando não estar “em condições para concretizar a necessária unificação” ao redor de um novo projeto, o antigo primeiro-ministro certificou a desistência à campanha presidencial francesa, cuja primeira volta está marcada já para o próximo mês.

Numa altura em que o outro candidato pelo Partido Republicano, François Fillon, continua ligado a um escândalo político por ter criado empregos fictícios para familiares, o atual presidente da Câmara de Bordéus disse que “nunca na V República uma eleição presidencial decorreu numa situação tão confusa”, acusando ainda François Fillon de ser “obstinado”.

Apesar da sua desistência, um estudo de opinião realizado pelo Instituto Odoxa para a France 2 concluiu que, na primeira volta, Alain Juppé reuniria 26,5% das intenções de voto, Emmanuel Macron, 25% e Marine Le Pen, 24%. Segundo outras sondagens trazidas a público, a entrada do agora ex-candidato significaria a derrota de Marine Le Pen na primeira volta.

Descomplicador:

Alain Juppé confirmou ontem a desistência da corrida às eleições presidenciais francesas. Em conferência de imprensa, o antigo primeiro-ministro afirmou não ser ele a renovação que os franceses querem, tecendo também algumas críticas ao outro candidato do partido republicano François Fillon.

zybjvmxe@pwrby.com'
Publicado por: Joana Silva

20 anos, natural da Madeira. Estuda jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social e é em Lisboa que está a dar os seus primeiros passos no jornalismo. Colabora também com o Bola na Rede.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *