Costa e o génio da lâmpada

António Costa é por estes dias o mais parecido que temos com o personagem de Aladino, retirado de um conto das Mil e Uma Noites.

As semelhanças não se ficam pelos traços orientais do personagem, vão mais além e procuram uma imitação que a própria ficção literária de Aladino e a sua lâmpada mágica não poderiam melhor reproduzir!

O pobre Aladino, nunca se conteve nos desejos, à primeira oportunidade de pedir algo ao génio da lâmpada, desejou ser príncipe e casar com a princesa filha do poderoso sultão.

 

António Costa lembra-me Aladino, apostado em ser príncipe e governar o reino, parece ter desejado isso a todo o custo durante toda uma vida.

Nada de mal até aqui, a máxima ‘o Homem sonha a obra nasce’ não é pertença de meia dúzia e ainda bem! Estamos perante a igualdade de oportunidades. Ser primeiro-ministro não é felizmente um exclusivo nobiliárquico, muito menos hereditário.

Nós humanos, salvo raras exceções, gostamos ver as pessoas virem de baixo, ascenderem na vida debaixo de ‘sangue, suor e lágrimas’! Não sou conhecedor além do senso comum do percurso de António Costa, nem o critico por ter ambicionado e realizado ser príncipe deste reino, no entanto, questiono-me se haverá algo de heróico neste Aladino português?

António Costa tem no entanto o seu mérito. Tal como Aladino, entrou numa caverna depois de seduzido pelo feiticeiro que o instrumentalizou para conseguir a lâmpada mágica e como Aladino, conseguiu superar o próprio feiticeiro, saiu da escuridão da caverna e tem obtido para si todos os favores do génio da lâmpada!

António Costa tem hoje ao seu dispor o génio da lâmpada que qualquer primeiro-ministro deseja ter, aquela lâmpada que ao ser esfregada, sai dela um génio com poderes mágicos, capazes de fazer do comum dos mortais, um herói.

Costa dá-se bem com a magia, tapetes voadores é com ele, que o diga Passos Coelho, Paulo Portas e Assunção Cristas! O ar de encantador de serpentes, herdou-o dos famosos encantadores de serpentes da Índia, ao som da sua música tem demonstrado habilidades nunca antes vistas em Portugal, veja-se a forma como o PCP e o BE se contorcem ao mesmo tempo que tentam não mudar de pele! É incrível.

Voltemos à lâmpada e ao génio, até porque, interessa revelar o que é a lâmpada e quem é o génio! Não é difícil perceber que a lâmpada é a presidência da república e o génio, claro está, o presidente da república. Marcelo é hoje mais de que um pai para Costa. É o Alfa e o Omega, é o verdadeiro génio que quando Costa está à rasca, corre para o tal telefonema diário a Belém e esfrega-se na presidência para que de lá saia o génio de Marcelo. O génio que comunica e transforma a pálida avaliação da agência de rating Fitch em boas notícias! O génio que poupa António Costa e os seus ministros de se engasgarem perante a opinião pública portuguesa. O génio que contraria o PSD na questão da descida da TSU mas poupa o voto contra do BE na mesma matéria. O génio que quando o tom sobe na assembleia e os deputados se portam mal, chama-os, reúne e faz de conta que foi uma birra da oposição. O génio que apazigua, normaliza, desdramatiza e faz as delícias de um povo com sede de um líder acessível, ora almoçando com ex sem-abrigo, ora dando um mergulho, ora dançando ou vendo a bola, Marcelo está em todas e Costa agradece.

Não se sabe quanto tempo a direita terá de ser castigada por não ter feito magia, encantado serpentes ou voado tapetes mas uma coisa é certa, quando faltar o dinheiro e o génio da lâmpada, será novamente a hora de sair do conto das Mil e Uma Noites e regressar à realidade.

Vereador na Câmara Municipal de Santana - Madeira. Vice-Presidente da Juventude Popular da Madeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *