Escócia avança para o segundo referendo à independência

A primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, confirmou hoje a intenção de consultar novamente a população do país sobre a permanência no Reino Unido.

Depois de se saber que até Março de 2019, o Reino Unido vai completar a intenção de sair da União Europeia, a chefe do governo escocês disse que “em tempos como os de hoje, torna-se ainda mais importante ter um plano claro e tentar, o mais possível, controlar os eventos e não ficar apenas à mercê destes”.

Assim, até o final de 2018 e início de 2019, os escoceses poderão ser chamados a decidir num referendo apenas quatro anos depois do último realizado. A Escócia e a Irlanda do Norte foram os únicos que votaram a favor da permanência na comunidade europeia, ao contrário da Inglaterra e do País de Gales.

Esta não foi a primeira vez que a primeira-ministra deu a entender que poderia haver segundo referendo. Já na semana passada, Sturgeon criticou a falta de diálogo por parte do governo de Theresa May para que houvesse negociações.

Falta apenas saber se este referendo vai precisar ou não de autorização prévia do executivo de Londres. Este é apenas um entrave, já que o parlamento escocês não está maioritariamente do lado da chefe do governo, contando apenas com 63 votos e precisando de pelo menos mais dois para conseguir maioria absoluta que garanta a aprovação.

Descomplicador:

A primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, deu uma conferência de imprensa onde deixou em aberto a possibilidade do país ser chamado a votar sobre um novo referendo à permanência no Reino Unido.

zmjgloth@clrmail.com'
Publicado por: Gonçalo Nuno Cabral

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *