Bashar al-Assad deixou de ser prioridade para os Estados Unidos

O líder sírio, Bashar al-Assad, deixou de ser uma prioridade no que toca à politica externa dos Estados Unidos da América, diz o representante dos norte-americanos na ONU. No mandato de Barack Obama, remover Assad do poder era uma das prioridades da sua administração.

“Não podemos necessariamente focar-nos em Assad da mesma forma que a anterior administração” disse Nikki Haley, embaixadora dos Estados Unidos junto da Organização das Nações Unidas e que revela a diferença de estratégias da administração de Obama para a de Donald Trump, no que toca à Síria.

Para Haley, a prioridade dos Estados Unidos da América é agora a de “analisar a fundo como é que podemos concretizar as coisas, com quem é que precisamos de trabalhar para realmente fazer a diferença para o povo da Síria”, tendo agora como prioridade o combate ao Daesh.

Ainda assim, a BBC diz que no último ano de Barack Obama a estratégia estava já voltada para o combate ao Daesh e não tanto para a retirada de Bashas al-Assad do poder. Recentemente o Secretário de Estado, Rex Tillerson, disse que o futuro de Assad “vai ser decidido pelo povo sírio”.

Descomplicador:

A embaixadora dos Estados Unidos da América junto da ONU afirmou aos jornalistas que a estratégia norte-americana com Donald Trump é combater o Daesh e não a de retirar Bashar al-Assad do poder na Síria.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *