Paulo Portas acusado de influenciar concurso público

O ex-vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, foi acusado por uma construtora por ter influenciado um concurso público para uma obra da NATO, em beneficio da Mota-Engil, empresa que representa agora.

Segundo avança o Jornal de Noticias, foi entregue uma denúncia no Ministério Público por uma construtora, a acusar Paulo Portas de ter influenciado a avaliação inicial de um concurso público para a construção de uma escola da NATO em Oeiras.

A Tecnorém foi primeira classificada numa avaliação inicial, mas depois acabou por ser desclassificada, fazendo a Mota-Engil subir de 2º para 1º lugar, tendo assim a obra sido atribuída à empresa onde Paulo Portas é agora consultor. A denúncia implica também o Director Geral de Recursos da Defesa Nacional, Alberto Coelho, que é também presidente do Conselho de Fiscalização do CDS.

No concurso, a Mota-Engil apresentou até uma proposta mais barata que a Tecnorém em 1,4 milhões de euros, mas a avaliação do preço pesava apenas 40% da ponderação final, onde 60% estavam reservados para a “adequação técnica”.

Descomplicador:

Paulo Portas foi acusado por uma construtora de ter beneficiado a Mota-Engil na adjudicação de um concurso público para construção de uma escola de comunicações da NATO. Ainda assim, a proposta da Mota-Engil era mais barata do que a da construtora que apresentou a denúncia.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *