Manuel Pizarro rejeita acordo pós-eleitoral com Rui Moreira

O candidato à Câmara Municipal do Porto pelo Partido Socialista, Manuel Pizarro, afastou já a possibilidade de um entendimento pós-eleitoral com Rui Moreira, à semelhança do que aconteceu em 2013. A cisão entre Rui Moreira e o PS do Porto, fechou assim a porta a entendimentos futuros.

No programa “10 minutos”, da SIC Noticias, Manuel Pizarro disse que “os acontecimentos gravíssimos das últimas semanas têm consequências para o futuro”. Apesar de criticar a escolha de palavras da Secretária-Geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes, que levou ao fim do acordo entre o PS e Rui Moreira, Manuel Pizarro fechou a porta a novos entendimentos no futuro.

Para o candidato do PS à Câmara do Porto, a entrevista de Ana Catarina Mendes foi apenas um “pretexto e a cereja em cima do topo do bolo para quem já queria romper o acordo”, entende o candidato socialista, também vereador na autarquia do Porto, embora agora sem pelouros.

Manuel Pizarro disse ainda que “nunca houve nenhuma exigência de lugares do PS”, afastando também a existência de problemas quanto à escolha do número dois, um lugar que diz ser “meramente simbólico a não ser que o presidente entenda não terminar o mandato”.

Descomplicador:

Manuel Pizarro, vereador e candidato do PS à Câmara do Porto, afastou a possibilidade de entendimentos pós-eleitorais com Rui Moreira, à semelhança do que aconteceu em 2013. Para o candidato socialista, “os acontecimentos gravíssimos das últimas semanas têm consequências para o futuro”.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *