Jornadas Parlamentares geram troca de palavras entre PS e PSD, com Ferro Rodrigues “ao barulho”

As Jornadas Parlamentares do Partido Socialista já geraram um “bate-boca” entre os socialistas e o PSD. Carlos César, presidente do PS, acusou os sociais-democratas de irem para o Algarve fazer turismo e o PSD não gostou. Entretanto, o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, já falou também sobre o tema.

“Podíamos fazer destas jornadas mais uma reunião entre as muitas que fazemos em Lisboa, ou até aproveitar esta época do ano com mais sol para ir para locais turísticos, trabalhando aí. Mas queremos insistir em estar no Portugal que mais precisa da atenção política e dos decisores políticos”, disse Carlos César na abertura das Jornadas Parlamentares do PS que estão a decorrer em Bragança.

Apesar de o ataque ter sido dirigido ao PSD, acabou também por atingir o parceiro parlamentar, o Bloco de Esquerda, que também realizou umas jornadas no sul do país. Hugo Soares, vice-presidente da bancada parlamentar do PSD foi dos primeiros a reagir, ao dizer que “ainda o senhor deputado Carlos César não tinha aterrado na Assembleia da República e já o PSD fazia jornadas parlamentares nos distritos do interior do país”.

 

Duarte Marques, também ele deputado social-democrata, disse ainda que “agora, além de se revelar aldrabão, visto o PSD ter já organizado jornadas no interior, vem faltar desta forma ao respeito pelo Algarve e pelos algarvios. Espero que peça imediatamente desculpas e se retrate publicamente”, acusando Carlos César de ser “um boçal, um caceteiro e um cacique conhecido pelas piores razões”.

Entretanto, na intervenção que estava guardada para o final do primeiro dia das Jornadas Parlamentares dos socialistas, o presidente do Parlamento, Ferro Rodrigues improvisou no discurso para críticas as reacções do Partido Social Democrata. Ferro Rodrigues disse que quando a oposição se dedica a “ataques pessoais” é sinal que “estão desesperados e a perder o pé”, pedindo que “não haja a resposta a ataques pessoais. Não é por essa via que vamos fazer cumprir Portugal”.

Entretanto, várias figuras ligadas ao PSD e também ao CDS, criticaram a falta de independência de Ferro Rodrigues no exercício do cargo.

Descomplicador:

Carlos César criticou a realização de jornadas parlamentares no Algarve, ao dizer na abertura dos trabalhos do PS que “podíamos fazer destas jornadas mais uma reunião entre as muitas que fazemos em Lisboa, ou até aproveitar esta época do ano com mais sol para ir para locais turísticos”, levando à reacção do PSD que acusou o presidente do PS de ser “um boçal, um caceteiro e um cacique conhecido pelas piores razões”, nas palavras de Duarte Marques. Entretanto, Ferro Rodrigues falou, indirectamente, sobre o assunto.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *