Câmara do Porto pede explicações sobre candidatura de Lisboa à Agência Europeia do Medicamento

A Câmara Municipal do Porto emitiu um comunicado esta manhã, onde pede ao governo que divulgue os estudos que recomendam a cidade de Lisboa para acolher a Agência Europeia do Medicamento, uma entidade que o Porto disse querer receber em primeira instância.

O comunicado pede então que o governo “divulgue publicamente e lhe forneça os estudos que serviram de base à decisão de apenas candidatar Lisboa como localização para instalação em Portugal da Agência Europeia do Medicamento (EMA)”, dando ainda conta da criação da “Comissão de Candidatura Nacional para a instalação da Agência Europeia do Medicamento na cidade de Lisboa (CCN)” na qual participam várias entidades, entre as quais a Câmara Municipal de Lisboa”.

A autarquia liderada por Rui Moreira esclarece que todas as condições apontadas como vantajosas à cidade de Lisboa “se verificam no Porto, com vantagens, como é a existência de um cluster da indústria farmacêutica e várias universidades de referência na área da saúde nas suas proximidades”, acrescentando ainda que numa entrevista dada pela Secretária de Estado dos Assuntos Europeus, foram apontados “factores, também, todos eles existentes no Porto, incluindo a existência de escolas internacionais, o clima e boa gastronomia”.

Para encerrar este pedido, a Câmara Municipal do Porto recorda ao executivo que o governo espanhol também se candidatou a receber a Agência Europeia do Medicamento, com a cidade de Barcelona, para além de que “em França, duas das três agências que existem no país não estão localizadas em Paris; na Alemanha, as três agências que existem estão também fora de Berlim; na Itália, nenhuma das duas existentes se localiza em Roma; assim como a Grécia não localizou nenhuma das duas agências europeias que possui em Atenas”.

Descomplicador:

A Câmara do Porto pediu ao governo para divulgar os estudos comparativos que apontam Lisboa como a melhor opção para receber a Agência Europeia do Medicamento, avançando que todos os factores alegados pela Secretária de Estados dos Assuntos Europeus existem também no Porto.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *