Tudo o que se sabe sobre a manhã de terror do Partido Republicano

Eram 7h09 quando se ouviram os primeiros disparos no campo de treino de basebol. Escassos minutos antes, o republicano Jeff Duncan, da Carolina do Sul, abandonara o treino em que os colegas de partido e membros do staff continuavam, passando pelo parque de estacionamento adjacente, situado num subúrbio de Washington. Foi ali que um homem de cabelo branco e barba lhe perguntou se o treino era da equipa dos congressistas republicanos ou democratas. “Disse-lhe que eram republicanos. Ele disse ‘Ok, obrigado’, e virou-se”, contou o congressista ao “New York Times”.

O que aconteceu a seguir deixou todos os que ali se encontravam em choque. O homem, que já foi identificado como James Hodgkinson, residente em St. Louis de 66 anos, levava consigo duas armas e abriu fogo sobre os congressistas que praticavam para o já tradicional jogo de basebol solidário, marcado para esta quinta-feira. Na sequência do tiroteio cinco pessoas ficaram feridas, sendo que o caso mais grave é o do congressista Steve Scalise, que depois de ser atingido numa anca caiu e se arrastou pelo campo até ser assistido. Scalise foi de seguida operado, ficando em estado crítico num hospital próximo.

Atirador era apoiante de Bernie Sanders

Também o próprio atirador ficou ferido na troca de tiros, tendo morrido já no hospital para onde foi levado pelos agentes de segurança. Entretanto, o FBI já anunciou que vai tomar conta da situação, ainda sem dados para esclarecer se esta se tratou de uma tentativa de homicídio e se será tratada como tal. Hodgkinson era um acérrimo crítico de Trump, tendo viajado há semanas para Washington para participar em protestos contra o presidente, segundo contou o irmão, Michael, à imprensa norte-americana, logo depois do sucedido. Na sua página de Facebook, o atacante partilhara recentemente uma petição online a favor da destituição de Trump, com a legenda “Está na altura de destruirmos Trump e companhia”.

Bernie Sanders, ex-candidato à presidência dos Estados Unidos, confirmou depois ter sido informado de que o atirador participara como voluntário na sua campanha, numa declaração em que condenou o ato “detestável”. Foram vários os políticos americanos que cancelaram atos e discursos nesta quarta-feira, com Donald Trump a fazer um discurso de condenação transmitido pela televisão a partir da Casa Branca.

 

Descomplicador:

A manhã foi de terror para várias dezenas de membros do partido republicano e seus funcionários. Um homem de 66 anos atirou sobre as pessoas que praticavam basebol num subúrbio de Washington, acabando por morrer depois de um tiroteio com a polícia.

 

Publicado por: Mariana Lima Cunha

21 anos, natural de Oeiras. Licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social e pós-graduada em Comunicação e Marketing Político pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Jornalista online do Expresso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *