Assunção Cristas gostava de ter ido mais longe nas florestas

António Costa atacou ontem na Festa da Pontinha os antigos responsáveis pelas florestas, Pedro Passos Coelho, enquanto Primeiro-Ministro e Assunção Cristas, enquanto Ministra da Agricultura. A agora líder do CDS disse já à Agência Lusa que gostava de “ter ido mais longe” no que toca à gestão da floresta.

“Temos que perceber que a floresta não é a causa dos fogos, é a vítima dos fogos, é a vítima das acções negligentes, das acções intencionais e depois [podemos falar de] responsabilidade na medida em que há estes problemas estruturais na propriedade”, disse Assunção Cristas à Lusa.

Assunção Cristas pediu uma grande acção de sensibilização que envolva também a comunicação social e revelou que quando chegou ao executivo, encontrou o sector florestal “muito desprezado, porque se achava que era o parente pobre da agricultura (…), os fundos comunitários não estavam devidamente adequados”, explicou.

A agora líder dos centristas disse que gostaria de ter ido mais longe, nomeadamente na concretização do cadastro florestal e na sensibilização dos proprietários. “Tenho pena de algum trabalho não ter tido continuidade, como [nas medidas relativas a] terras abandonadas e sem dono conhecido”, disse a antiga ministra com a tutela da agricultura e das florestas.

Descomplicador:

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *