Mota Soares autorizou uma viagem da Huawei

O ex-Ministro da Segurança Social, Pedro Mota Soares, autorizou uma das viagens oferecidas pela Huawei (ou terá sido pela Nós?) a um alto quadro do ministério. “É normal nas empresas e na administração pública a participação em congressos e seminários, que possam incorporar conhecimento”, justifica o ex-ministro ao Observador.

Mota Soares foi o ministro com a tutela da Segurança Social, da Solidariedade e do Emprego no executivo de Pedro Passos Coelho e autorizou em 2014 a viagem realizada por João Mota Lopes, vogal do Conselho Directivo do Instituto Informático da Segurança Social, à China, cortesia da Huawei. O oficio a dar conta da autorização foi assinado a 27 de Janeiro desse ano pelo chefe de gabinete de Mota Soares.

Mota Soares justifica ao Observador que “É normal que estas visitas se façam” e acrescenta que “perante esse crivo do presidente do conselho directivo, que entendia que a viagem era relevante para o próprio serviço, podíamos autorizar. O presidente do conselho directivo entendeu que a visita era relevante, e justificou-a”.

O ex-ministro acrescenta ainda que em alguns casos as viagens para adquirir conhecimentos foram pagas pelo Estado, enquanto outras foram oferecidas pelas empresas, tendo em conta a “prática normal do mercado, e estávamos num quadro de enorme contenção financeira”, acrescenta.

Pedro Mota Soares defende-se ainda ao citar o novo Código de Conduta, que à sua época não existia, mas que ainda aos dias de hoje prevê um regime de excepção para congressos. “[Exceptuam-se] convites ou benefícios similares relacionados com a participação em cerimónias oficiais, conferências, congressos, seminários, feiras ou outros eventos análogos, quando correspondam a usos sociais e políticos consolidados, quando exista um interesse público relevante na respectiva presença (…)”.

Descomplicador:

O ex-Ministro da Segurança Social, Pedro Mota Soares, autorizou uma viagem de um alto quadro do ministério à China, numa das viagens da Huawei. Mota Soares diz que a viagem foi justificada pelo chefe de serviço e que é uma prática habitual do mercado.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *