Governo reactiva Passe Sub23. Deputada do PSD critica timing e falta de abrangência da medida

O governo de António Costa recuperou a partir de hoje o Passe Sub23, disponível a estudantes do ensino superior e a menores de 23 anos e que oferece um desconto de 25% nas regiões de Lisboa e do Porto. Ao Panorama, Margarida Balseiro Lopes, deputada do PSD critica o timing eleitoralista da medida e a falta de abrangência geográfica.

A medida estava já prevista no Orçamento do Estado para este ano e vai entrar em vigor precisamente a partir de hoje, estando assim disponível desde o inicio do ano lectivo. O Passe Sub23 está acessível a menores de 23 anos ou a estudantes do ensino superior, das regiões de Lisboa (Navegante) e do Porto (Andante).

Em Lisboa, o passe para a rede urbana tem um custo de 36,25 euros, passando a custar pouco mais que 26 euros. No Porto, o título mensal de transporte pode custar 22 euros, para duas zonas. Actualmente, o Passe Sub23 estava disponível apenas a jovens com apoio social do Estado ou oriundos de famílias com baixos rendimentos.

Para Margarida Balseiro Lopes, deputada do PSD e Secretária-Geral da JSD, esta é uma medida que “não é inocente a entrada em vigor às portas das eleições autárquicas. É, a par de outras medidas, como o aumento extraordinário das pensões mais uma evidência do eleitoralismo do Governo e dos partidos de esquerda”, começa por dizer.

A deputada social-democrata acrescenta ainda que a medida tem dois grandes problemas: “atribuir indiferenciadamente um apoio social sem ter em consideração quem é que realmente precisa dele. E como os recursos são escassos, não me parece razoável estar a desperdiçar recursos públicos com quem efectivamente não precisa deles” e “a discriminação territorial. É que de facto para concelhos onde existe uma rede de transportes que dê resposta aos jovens que estudam no Ensino Superior não há nenhum problema. Diferente é se eu infelizmente não tiver na rede de transportes uma opção viável para me dirigir para a minha instituição e aí o Passe Sub23 não serve para rigorosamente nada”.

O governo pretende alargar a abrangência geográfica do Passe Social+, mas para já não são conhecidas datas para esse alargamento.

Já o deputado do Bloco de Esquerda, Luis Monteiro, disse na sua página do Facebook que “reverter os cortes que a Direita fez nos seus anos de governação é o primeiro tijolo para voltar a defender um Estado Social forte e, neste caso, uma política de mobilidade justa e capaz de criar condições aos estudantes para usarem o transporte público”, acrescentando ainda que, para tal acontecer, “não podemos nunca deixar de lutar por um serviço de transportes 100% público”.

Descomplicador:

O governo reactivou o Passe Sub23 de acesso geral, que dá 25% de desconto a estudantes e menores de 23 anos em Lisboa e no Porto. Ao Panorama, Margarida Balseiro Lopes critica o timing “eleitoralista” da medida, bem como a falta de abrangência geográfica e a indiferenciação na atribuição do apoio.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *