Autárquicas35: “A juventude é caracterizada por uma certa irreverência (…) sonhadora, criativa e de desenvolvimento de projectos”

Autárquicas35: 

O Autárquicas35 é uma série de artigos lançados pelo Panorama, onde conversa com 20 candidatos autárquicos oriundos dos 18 distritos, da Madeira e dos Açores, abaixo dos 35 anos. Nesta série de artigos procuramos perceber a motivação para aceitar o desafio autárquico, as prioridades para as suas freguesias e concelhos e as motivações politicas. Para acompanhar até ao dia 29 de Setembro. 

Vê todos os artigos do Autárquicas35 AQUI

Distrito: Santarém – Filipa Filipe – Bloco de Esquerda – Santarém

Filipa Filipe é a candidata mais jovem à Câmara Municipal de Santarém. Num distrito onde o Bloco de Esquerda tem uma das mais fortes presenças autárquicas (Salvaterra de Magos foi aliás a única autarquia que liderou), a psicóloga clínica tem o desafio de liderar a lista à câmara da capital de distrito. “Não foi uma decisão fácil, porém, assumida com responsabilidade. Existem alguns factores que mais contribuíram para a minha decisão em participar neste projecto de revolução cidadã. O facto de pessoas oriundas de outros partidos e movimentos sociais, sindicais, culturais e desportivos, como por exemplo o Mais Santarém e o Coração da Cidade, se terem unido ao Bloco de Esquerda através do compromisso a que chamamos 10 Laços de uma Candidatura de Cidadania e Afecto por Santarém, para então formar uma aliança cidadã capaz de agitar o poder local”, explicou a candidata ao Panorama.

“Fui percebendo, ao longo do tempo, que reunia algumas condições que poderiam ser interessantes, nomeadamente: o facto ser mulher, jovem e estar numa profissão ligada às Ciências Sociais e Humanas. Pareceu-me também um desafio enriquecedor do ponto de vista do desenvolvimento pessoal. O que me motiva realmente são as pessoas e a mudança, tanto ao nível individual como colectivo”, acrescenta ainda Filipa Filipe, que considera que “a nova geração traz um novo entendimento da realidade que deve interessar ao debate político”.

Para Filipa Filipe, “a juventude é caracterizada por uma certa irreverência, de onde prefiro destacar os seus aspectos mais positivos, como a faceta sonhadora, criativa e de desenvolvimento de projectos. Há jovens com a idade do Salgueiro Maia quando este fez a revolução no 25 de Abril. O capitão de Abril não sabia tudo o que queria mas, certamente, sabia o que não queria. Também ele e os/as seus/suas companheiros de luta foram sonhando e agindo em prol de uma sociedade mais justa”. A candidata bloquista nasceu em Alpiarça, mas reside actualmente em Santarém e integrou em 2015 um projecto com financiamento comunitário para a implementação da dieta mediterrânica nas escolas.

Filipa Filipe, a terceira a contar da esquerda

O Bloco de Esquerda apresentou em Santarém uma lista com um maior número de mulheres, embora para a cabeça-de-lista, o que mais interessa seja “a igualdade de género do que uma superioridade de género”, explicando que o fundamental é que “as mulheres não se sintam excluídas ou que sejam demovidas de participar activamente na vida política. Até porque me parece que existe uma necessidade de uma certa “feminização” da política. Não no sentido de um radicalismo feminista – que por vezes resvala no denegrir o género masculino – mas como um contributo que visa esbater desigualdades e introduzir características mais frequentemente atribuídas ao feminino. Acredito que é um contributo decisivo para equilibrar a humanização na política”, afirma.

Para o concelho de Santarém, o Bloco de Esquerda pretende implementar “o Orçamento Participativo, passando pela regeneração urbana, pelo emprego, protecção do ambiente, desenvolvimento cultural a partir dos actores locais”, pretendendo ainda construir “um concelho inclusivo, bem aproveitado nas suas potencialidades e com o seu património bem conservado. Não ambicionamos ser uma capital de uma região geográfica, apenas ambicionamos ser um capital de distrito com qualidade de vida, capaz de fixar as suas gentes. Pois cada município terá as suas particularidades que, se foram optimizadas, poderão igualmente conquistar esse estatuto”. Para Filipa Filipe, “mais do que promover a competitividade entre municípios, pretendemos fomentar a cooperação inter-municipal”.

A jovem psicóloga clínica pretende agora ser “eleita à presidência da Câmara Municipal de Santarém”, acreditando para isso na “equipa motivada e empenhada, cada qual com as suas competências e sensibilidade particular, para unidos/as fomentarmos a inclusão, a transparência e a participação democrática no concelho, sem esquecermos os animais e a Natureza”.

B.I.:

Nome: Filipa Filipe

Idade: 30 anos

Filiação: Bloco de Esquerda

Concelho: Santarém

Distrito: Santarém

Cargo a que se candidata: Cabeça-de-lista à Câmara Municipal de Santarém

Vê todos os artigos do Autárquicas35 AQUI

Descomplicador:

Filipa Filipe lidera a lista do Bloco de Esquerda à Câmara Municipal de Santarém, numa lista com mais mulheres que homens. Para a jovem candidata bloquista o importante é que “as mulheres não se sintam excluídas ou que sejam demovidas de participar activamente na vida política. Até porque me parece que existe uma necessidade de uma certa “feminização” da política. Não no sentido de um radicalismo feminista – que por vezes resvala no denegrir o género masculino – mas como um contributo que visa esbater desigualdades e introduzir características mais frequentemente atribuídas ao feminino”.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *