Autárquicas35: os resultados dos “nossos” candidatos

O Panorama percorreu vários pontos do país para falar com jovens candidatos às eleições autárquicas. Do Algarve até ao Norte do país, passamos por vários regiões, com várias identidades politicas e candidatos a vários órgãos. Contados os votos, vamos saber então quem foi ou não eleito, do roteiro Autárquicas35.

Évora – Montemor-o-Novo

Vítor Vicente foi candidato à Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, que mais uma vez foi conquistada pela CDU. A candidatura do CDS, encabeçada pelo Vítor Vicente, obteve 834 votos, registando 9,54% e duplicando os votos face às eleições de 2013 que foram encabeçadas também pelo Vítor Vicente. O CDS passou de quarta para terceira força politica, conseguindo o dobro dos votos do PSD. O CDS elegeu ainda dois deputados para a Assembleia Municipal, mais um do que há quatro anos e três membros para as Assembleias de Freguesia, mais três do que em 2013.

Vila Real – Vila Real

Nataniel Araújo foi candidato à Junta de Freguesia de Vila Real, mas não conseguiu derrotar o Partido Socialista. O candidato do PSD registou 2698 votos, que correspondem a 28,60%, ficando a uma larga distância do PS, que conquistou 56,47% dos votos. Ainda assim, a candidatura de Nataniel Araújo conquistou quatro dos 13 mandatos em disputa para a Junta de Freguesia de Vila Real, tendo ainda ganho votos face à votação para a autarquia registada na mesma freguesia para o PSD.

Santarém – Santarém

Filipa Filipe foi a cabeça-de-lista do Bloco de Esquerda à Câmara Municipal de Santarém, tendo melhorado a votação face há quatro anos, apesar de ter ficado longe de se eleger como vereadora. O Bloco de Esquerda somou 1124 votos e 4%, face aos 797 votos e 2,87% de há quatro anos, mantendo-se como quinta força politica do concelho, embora tenha neste acto eleitoral sido ultrapassado pelo CDS. Para a Assembleia Municipal, o Bloco manteve um deputado eleito.

Madeira – Funchal

João Pedro Vieira era candidato a vereador à Câmara do Funchal pela Coligação Confiança (PS, Bloco, JPP, PDR e Nós, Cidadãos!), encabeçada por Paulo Cafôfo, que venceu as eleições, embora ainda aguarde o lançamento dos dados de uma freguesia para saber se a vitória foi com maioria absoluta. João Pedro Vieira era o sexto candidato, num executivo que atribuiu seis mandatos, pelo que não foi eleito, mas onde viu a sua equipa conseguir reforçar a votação face há dois anos e conquistar para já mais um vereador, que podem ser dois, podendo assim chegar à maioria absoluta.

Viseu – Lamego

Em Lamego, Ricardo Morgado era o quarto candidato à Câmara Municipal, pela lista do PSD, liderada por Ernesto Rodrigues, tendo ficado em segundo lugar. Em 2013, o PSD e o CDS concorreram coligados e conquistaram a autarquia, mas este ano os partidos separaram-se e o PS conquistou a liderança, mantendo o número de vereadores de há quatro anos. Quanto ao CDS e ao PSD, os votos dividiram-se e cada partido conquistou dois mandatos, com Ricardo Morgado a ficar assim de fora por dois lugares.

Braga – Braga

João Rodrigues era o sexto elemento da lista Juntor por Braga (PSD/CDS/PPM) e foi eleito vereador, devido à maioria absoluta conquistada por Ricardo Rio, que elegeu mais um membro face a 2013. João Rodrigues vai assim assumir funções como vereador na capital de distrito. O PSD, CDS e PPM subiu de 46,71% para 52%, aumentando perto de cinco mil votos e “roubando” assim um vereador ao Partido Socialista, que passa de quatro para três representantes no executivo municipal.

Beja – Cuba

Em Cuba, distrito de Beja, Pedro Janeiro foi o cabeça-de-lista do CDS/PSD à autarquia, num município em que a CDU e o PS dividem a maioria dos votos. O CDS e o PSD não conseguiram melhorar a votação face a 2013, na verdade perdeu até 4 votos, registando 2,68% dos votos. O PCP e o PEV voltaram a liderar as preferências dos votos recolhidos em urna, relegando novamente o PS para segundo lugar.

Lisboa – Lisboa

Maria Begonha era a 12ª candidata do Partido Socialista à Câmara Municipal de Lisboa, tendo ficado de fora, tendo em conta que a candidatura de Fernando Medina conquistou oito mandatos, perdendo três mandatos face a António Costa em 2013. O PS perdeu dez mil votos face há quatro anos atrás, mas ainda assim Fernando Medina mostrou-se muito satisfeito com a vitória, podendo no entanto ter que fazer um acordo eleitoral para governar com maioria.

Faro – Portimão

Carlos Gouveia Martins foi candidato a presidente da Assembleia Municipal de Portimão pelo PSD, CDS, MPT e PPM, mas o PS venceu com maioria absoluta, apesar de na Assembleia Municipal não ter registado tão bom resultado. Assim, Carlos Martins foi eleito para o órgão de fiscalização do município, liderando uma bancada com seis deputados, menos três do que o Partido Socialista.

Coimbra – Coimbra

José Dias era o 13º candidato do Partido Socialista à Assembleia Municipal de Coimbra, que elegeu…13 mandatos. O ex-presidente da Associação Académica de Coimbra vai assim integrar o órgão fiscalizador do município, numa bancada em que o PS não tem maioria absoluta, tal como no executivo municipal. Para a Assembleia Municipal, face há quatro anos atras, o PS manteve sensivelmente a mesma votação, ganhando 1400 votos, embora tenha perdido em pontos percentuais.

Descomplicador:

Nataniel Araújo, João Rodrigues, Carlos Gouveia Martins e José Dias foram eleitos para desempenhar mandatos autárquicos entre 2017 e 2021 nas eleições realizadas a 1 de Outubro, embora alguns tenham falhado o objectivo inicial a que se tinham proposto, conseguindo ainda assim a representação da nova geração nos órgãos autárquicos.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *