Bloco de Esquerda disponível para “geringonças” locais

Apesar de não ter conseguido uma melhoria significativa da sua representação autárquica, o Bloco de Esquerda adquiriu nalguns concelhos a capacidade de poder ser parceiros de executivos do Partido Socialista, a começar por Lisboa, onde Ricardo Robles pode marcar a diferença.

Segundo o semanário Expresso, são vários os eleitos locais que têm questionado a direcção nacional do Bloco de Esquerda sobre a estratégia a adoptar nas negociações de “geringonças”. O Bloco de Esquerda diz querer discutir programas e não cargos, nos executivos municipais.

Ainda assim, o Bloco de Esquerda conquistou mais 50 mil votos face a 2013, aumentando a sua representação para 125 deputados municipais e 213 eleitos nas assembleias de freguesia, elegendo ainda 12 vereadores e conquistando as autarquias de Funchal e Peniche em coligação com outros partidos.

Segundo o Expresso, Catarina Martins, coordenadora do Bloco de Esquerda, admitiu já que “as realidades do país são diferentes”e que “cada concelho é um caso”, sendo que as negociações com o Bloco de Esquerda terão como base de discussão a habitação, transportes, ambiente, ordenamento do território ou turismo.

Descomplicador:

Os eleitos locais do Bloco de Esquerda estão em contacto com a direcção nacional do partido por forma a saber qual a estratégia a adoptar na negociação de acordos locais. O Bloco pretende em primeiro lugar discutir os conteúdos programáticos.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *