PS vai atribuir pelouros ao PSD em Almada

O Partido Socialista queria criar uma mega-coligação na Câmara Municipal de Almada, que conquistou à CDU, nas últimas eleições autárquicas. No entanto, à ultima da hora, o PCP recusou pelouros, fazendo recuar o Bloco de Esquerda e assim só o PSD deverá partilhar responsabilidades com o executivo de Inês de Medeiros.

Segundo avança o Diário de Noticias, o PS estava disponível para atribuir a gestão da Casa da Cerca, Espaços Verdes, Mercados e SMAS (serviços municipalizados de água e saneamento), mas no último momento o PCP terá pedido pelouros “impossíveis”, fazendo cair o acordo que estava perto de ser firmado.

Com este recuo nas negociações, o Bloco de Esquerda colocou-se à margem do acordo, embora o PS estivesse disposto a atribuir também pelouros a Joana Mortágua. O PS e a CDU elegeram cada um quatro vereadores, com o PSD a eleger dois e o Bloco apenas um.

Assim, o PSD ficaria à partida com a rede viária e a iluminação pública, mas com o recuo da CDU, poderá ainda receber mais responsabilidades. Em Almada, a lista do PSD foi encabeçada por Nuno Matias, ex-deputado e membro da Assembleia Municipal de Almada, que este ano teve Maria Luis Albuquerque como cabeça-de-lista.

Descomplicador:

Inês de Medeiros, eleita presidente da Câmara de Almada, está na disposição de atribuir pelouros à oposição, mas a CDU terá recuado no último momento das negociações. Assim, só o PSD deverá partilhar responsabilidades com o Partido Socialista.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *