Puigdemont temia onda de violência

Carlos Puigdemont, líder destituído do governo da Catalunha, dirigiu-se esta manhã aos jornalistas a partir de Bruxelas, onde está desde ontem. O polémico líder da independência catalã diz que só voltará com garantias de segurança e que não exige “nada à politica belga”.

Puigdemont garantiu que só voltará a Espanha se tiver garantias de segurança, declarando no entanto que “outra parte do governo catalão mantém-se em Barcelona. Continuamos a ser membros legítimos do governo da Catalunha. Nunca abandonámos o governo. Continuamos a trabalhar, tendo em conta a nossa estratégia de não confrontação”.

O líder da Generalitat, embora destituído por Rajoy, diz que sua presença na Bélgica tem como objectivo “colocar o problema catalão no coração da Europa, denunciar a actuação do governo espanhol e acima de tudo mostrar ao mundo o grave défice democrático que existe no estado espanhol”.

Carlos Puigdemont justificou ainda a candidatura do seu partido às eleições por querer “debater democraticamente” a questão da independência da Catalunha e garantiu ainda que: “Respeitaremos os resultados de 21 de dezembro. Fará o mesmo o governo espanhol?”

Descomplicador:

Carlos Puigdemont falou hoje aos jornalistas numa conferência de imprensa que decorreu na Bélgica, onde Puigdemont está desde ontem, para “colocar o problema no coração da Europa”.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *