Curiosidades sobre a Web Summit: não perder tempo nos negócios

A Web Summit importa o conceito norte-americano de grandes eventos de negócios. Em Lisboa, a Altice Arena está preparada para que os governos e as grandes empresas, possam fechar na hora e com privacidade, negócios que surjam durante os quatro dias do evento.

Para além das palestras que decorrem no palco da Altice Arena, e que são as mais mediáticas, nos quatro pavilhões da Feira Internacional de Lisboa decorrem muitas outras, para além das exposições de startups e empresas. É nestes pavilhões que a maior parte do “networking” acontece ao longo dos dias.

Para evitar que negócios se percam, governos com o português, o francês e o alemão, bem como empresas como a Google, a Microsoft ou a Amazon, têm espaços na FIL para reuniões bilaterais. Estes espaços consistem em cabines privadas, afastadas da confusão do público, para que os responsáveis possa, na hora, reunir com parceiros.

Portugal tem nesta Web Summit marcado presença com praticamente todos os responsáveis governamentais da área económica. Manuel Caldeira Cabral, Ministro da Economia, tem sido presença assídua, bem como Eurico Brilhante Dias, Secretário de Estado da Internacionalização, entre outros.

Descomplicador:

A Web Summit está preparada para não deixar os negócios escaparem. Governos como o português, o alemão ou o francês ou empresas como a Google e a Microsoft, têm espaços longe dos olhares do público para reuniões bilaterais.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *