Director de canal de TV acusa Iglesias de financiamento ilegal

O director do Canal 33, Enrique Riobóo, onde Pablo Iglesias protagonizava o programa La Tuerka, acusou o fundador do Podemos e o seu co-fundador, Juan Carlos Monedero, de terem obtido financiamento através do Irão e da Venezuela. Esta é uma acusação que Riobóo trouxe a publico com o livro “La cara oculta de Pablo Iglesias”.

Segundo o director do canal televisivo, “Pablo Iglesias cobrava e pagava com um saco azul” e “os cinco eurodeputados eleitos pelo Podemos nas eleições europeias não teriam sido possíveis sem que Iglesias e Monedero tivessem os bolsos cheios”, diz Riobóo.

Desta vez, Enrique Riobóo falou no Senado espanhol, numa audição da Comissão Parlamentar de Inquérito sobre o Financiamento de Partidos Politicos, dando assim outra relevância a estas acusações, que já eram conhecidas.

Segundo o director do canal catalão, o financiamento do programa era assegurado pelo governo venezuelano durante a liderança de Hugo Chavez e depois pelo governo do Irão, após a morte de Chavez.

O programa que deu palco mediático a Pablo Iglesias começou em 2012, a dois anos da fundação do Podemos e Riobóo diz mesmo que Iglesias e Monedero chegaram a apresentar uma proposta para a compra do canal.

Descomplicador:

O director do Canal 33, onde Pablo Iglesias se deu a conhecer ao grande publico, acusa o líder do Podemos de ter sido financiado pelo regime de Hugo Chavez, inicialmente e pelo governo do Irão, após a morte do líder venezuelano.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *