Teresa Anjinho deixa cargos no CDS para assumir lugar na Provedoria da Justiça

Teresa Anjinho, ex-deputada do CDS, vai renunciar a todos os cargos politicos e partidários para assumir o lugar de provedora adjunta da justiça, uma posição onde os deveres de isenção impedem a ocupação de cargos politico-partidários.

 

Tendo sido recentemente eleita deputada municipal em Coimbra, Teresa Anjinho renunciou já ao mandato, por forma a poder tomar posse no dia 11 de Dezembro. A par da saída da Assembleia Municipal de Coimbra, Teresa Anjinho vai também deixar o núcleo duro do CDS, onde integra a Comissão Executivo e a Comissão Politica Nacional, sendo também a presidente da distrital de Coimbra do CDS.

Teresa Anjinho vai assumir o lugar de adjunta de Maria Lúcia Amaral, como provedora adjunta de justiça. A ex-deputada centrista ocupava ainda um lugar na Comissão para a Igualdade e contra a Descriminação Racial.

Licenciada em direito pela Universidade de Coimbra e professora universitária na Universidade Nova de Lisboa, Teresa Anjinho integrou pela primeira vez a Comissão Politica Nacional do CDS em 2011, tendo sido eleita deputada entre 2011 e 2015.

Descomplicador:

A ex-deputada do CDS, Teresa Anjinho, vai deixar os cargos politicos e partidários para assumir o lugar de provedora adjunta de justiça. Teresa Anjinho integrava actualmente a Comissão Executiva e a Comissão Politica Nacional do CDS, bem como um lugar na Comissão para a Igualdade e contra a Descriminação Racial, sendo ainda líder da distrital de Coimbra do CDS.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *