Cara do movimento pró-Brexit aceitaria reforma da União Europeia

Nigel Farage, ex-líder do UKIP e um dos lideres do movimento pró-Brexit, disse recentemente, num programa da BBC, que aceitaria a pensão da União Europeia quando deixar o Parlamento Europeu, onde é actualmente deputado.

Quando questionado se aceitaria o cheque anual de 83 mil euros, dentro de dez anos, Nigel Farage foi peremptório ao dizer: “claro que aceitaria. Porque é que a minha família e outros devem sofrer mais?”, minutos depois de ter dito que duvidava que a União Europeia atribuísse algum tipo de pensão.

Ainda assim, Farage recusou ser apelidado de hipócrita, ao dizer que foi aquele que votou “para ficar sem emprego. Eu fui o peru que votou pelo Natal. Como é que isso pode ser hipocrisia?”, questionou o eurodeputado britânico. Ainda assim, segundo contas do The Sunday Times, essa pensão de Farage podia ser coberta pelo cheque que o Reino Unido vai passar quando selar a saída da União Europeia.

Estas declarações de Nigel Farage surgem num período exigente para o Reino Unido, tendo em conta a pressão que a União Europeia está a fazer junto dos órgãos de soberania britânicos com vista a acelerar o processo de saída, que tem estado num impasse.

Descomplicador:

Nigel Farage, ex-líder do UKIP, disse em entrevista à BBC que aceitaria a pensão da União Europeia, apesar de ter sido uma das caras a favor do Brexit, recusando ainda assim qualquer acusação de hipocrisia.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *