Continuidade da Web Summit não está assegurada

A continuidade da cimeira tecnológica Web Summit depois de 2018, está longe de estar assegurada. Segundo o Diário de Noticias, nem o executio nem o CEO, Paddy Cosgrave adiantam o estado das negociações e o fundador da cimeira tem publicado fotografias em reuniões com outros países.

O número 10 de Downing Street ou o Palácio do Eliseu foram alguns dos locais onde Paddy Cosgrave, fundador da Web Summit, esteve nas últimas semanas, gerando assim indecisão junto dos que acompanham a cimeira tecnológica.

A Web Summit está garantida em Portugal apenas por mais um ano e o Diário de Noticias avança que as negociações para a sua continuidade estão paradas. Ao DN, Cosgrave disse apenas estar “impressionado com o sucesso da Web Summit em 2017 e a planear torná-la ainda melhor para os participantes da edição de 2018”.

O Diário de Noticias avança ainda como causas para este “esfriar” de relações a polémica com o jantar no Panteão Nacional ou a saída de alguns dos interlocutores privilegiados dentro do executivo, como era o caso do ex-Secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos.

Descomplicador:

Paddy Cosgrave, fundador da Web Summit, tem estado em reuniões com outros países e não adianta o estado das conversações com o Governo português, num sinal de que a continuidade da cimeira tecnológica não está assegurada.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *