Paulo Cafôfo constituído arguido no caso da queda da árvore

O presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, foi constituído arguido no caso da queda da árvore na Madeira, que vitimou 13 pessoas e feriu outras 50. A par do presidente da autarquia, foram também constituídos arguidos a vereadora com o pelouro do ambiente, bem como um funcionário da autarquia.

 

A queda de uma árvore no Monte do Funchal, durante uma festividade religiosa vitimou 13 pessoas e feriu mais meia centena, deixando o país em choque. Entre as vítimas mortais encontra-se uma criança e várias pessoas de nacionalidade estrangeira.

À data da tragédia várias foram as vozes que se levantaram a dar conta de que tinham já alertado a autarquia local para o risco de queda de árvores naquele local, com o Diário de Noticias da Madeira a dar conta de que aquela árvore estava sinalizada desde 2014.

Meses depois, o principal responsável autárquico do Funchal, reeleito em Outubro, foi constituído arguido, bem como Idalina Perestrelo, vereadora com o pelouro do Ambiente, responsável pela divisão do ambiente da Câmara do Funchal e ainda um funcionário da autarquia.

Descomplicador:

O presidente da Câmara do Funchal, Paulo Cafôfo, foi constituído arguido no caso da queda da árvore no Monte do Funchal, que vitimou 13 pessoas e feriu outras 50 no dia 15 de Agosto do ano passado.

Publicado por: Miguel Dias

Licenciado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Assessor de comunicação numa federação desportiva, colabora com a imprensa regional na sua cidade, Almeirim e criou um conjunto de projectos temporários sobre politica local e nacional. Fundou ainda uma rádio regional e é comentador convidado de ténis da Eurosport.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *